BLOG TUNANTE

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Tuna está de volta e ganha matéria especial no DOL

Foco na disputa da Segundinha do Parazão: Tuna está confiante (Foto: Cezar Magalhães)

Campeonato Paraense da segunda divisão de 2015 tinha muitos predicados para ser um dos menos prestigiados dos últimos anos. Porém, a presença do Águia de Marabá, Pinheirense, Castanhal e principalmente pela presença da Tuna Luso Brasileira que tem as esperanças renovadas no comando do folclórico técnico Carlos Lucena, darão um charme especial à competição.
O torneio dará duas vagas para a fase principal do Parazão 2016. 

Lucena está à frente da equipe (Foto: Cézar Magalhães)

Enxugado ao máximo, o campeonato terá apenas quatro datas, com duas chaves de seis times jogando entre si em turno único. Avançando duas equipes de cada grupo são disputados jogos semifinais e a final em jogo único. Qual o atrativo de uma competição de tiro tão curto? A resposta se chama Tuna Luso Brasileira.

Segundo time do coração de todo paraense, a Águia Guerreira pela segunda vez em sua história disputa a segunda divisão do Parazão e volta a enfrentar adversários que não via há muitos anos, como o Izabelense, que com 91 anos de idade é a segunda agremiação mais antiga na disputa atrás apenas da própria Tuna, que tem 112 anos. Com a presença de um time dez vezes campeão paraense e bicampeã brasileira, qualquer competição ganha prestígio.

ABERTURA
A Águia inicia sua trajetória rumo à elite do Parazão enfrentando o Vila Rica, no Souza, na primeira rodada do grupo A2, no dia 27 de setembro.

O DOL preparou uma matéria especial que aborda o legado da Elite do Norte.O contraste da situação atual e do passado de títulos e resultados importantes que ficaram para a posteridade. Feitos que elevaram o nome do Pará a nível nacional.

Tuna Luso Brasileira: 112 de um gigante adormecido. O trabalho convida os torcedores e os simpatizantes da Cruz de Malta paraense, a embarcarem em uma matéria jornalística que trata das conquistas da Tuna: a Taça de Prata em 1985, o título da Série C em 1992, como funcionam as categorias de base que sempre revelaram talentos ao Pará e ao Brasil, as dificuldades desta importante agremiação a voltar ao cenário da elite do nosso futebol.
(Ronald Sales)
Fonte: DOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário