BLOG TUNANTE

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Demitido da Tuna, Zé Carlos ataca dirigente: 'Pilantra!'

Treinador disse que sua demissão aconteceu por uma exigência pessoal do gerente executivo Frederico Carvalho


Por: Carlos Fellip (ORM News)
Foto: Tarso Sarraf
Foto: Tarso Sarraf


Com a classificação para as semifinais da Segundinha do Parazão encaminhada e uma campanha invicta com cinco vitórias e três empates entre seis amistosos e dois jogos oficiais, a Tuna se despediu do treinador Zé Carlos e, nesta tarde, já até apresentou o substituto, mas a saída do antigo treinador gerou uma polêmica no clube.
Em entrevista exclusiva ao ORM News, Zé Carlos, que é sócio-proprietário tunante, justificou sua demissão na Lusa por não 'comungar' com o gerente executivo Frederico Carvalho, ao qual chamou de 'pilantra'. 
'Minha saída da Tuna foi porque, desde o primeiro minuto, defendi a Tuna e não interesses pessoais e financeiros de determinadas pessoas. Mas eu assumo o erro, porque tudo começou porque eu indiquei o doutor Frederico Carvalho, que não passa de um pilantra. Foi por causa dele que eu fui demitido', disse.
'Eu indiquei o nome dele porque ouvi que ele tinha ajudado o Vila Rica, inclusive investindo dinheiro do bolso. A Tuna vivia uma situação muito ruim financeiramente e levei o nome deste doutor à presidência da Tuna. Ficou tudo certo e ele chegou prometendo levar recursos para o clube. Passou o primeiro mês e ele não pagou ninguém. No segundo e no terceiro meses, enrolou todo mundo de novo e os jogadores se manifestaram. Ficou prometido que a renda dos amistosos seria dividida entre os atletas, mas, dos seis jogos, isto só aconteceu em um, contra o Águia. O dinheiro dos outros amistosos foi para o bolso do doutor Fred Carvalho', acusou. Sobre a divisão da renda de Tuna e Águia, Zé Carlos disse: 'Logo após o banho dos jogadores, no hotel, dei R$ 125 para cada, porque o Águia gastou cerca de 18 mil com o jogo e deu somente R$ 3 mil para a Tuna'.
Além disso, o ex-treinador tunante ainda acusou o dirigente de tentar influenciar na escalação do time com fins lucrativos. 'O Fred Carvalho queria fazer a Tuna como barriga de aluguel para os jogadores dele. O problema foi que, de todos os atletas que ele levou para o clube, só o Fabrício tinha condições de ser titular no grupo. Aí, ele ficava exigindo que eu escalasse os outros para poder vender depois. Um jogador tem que jogar para ser visto e vendido', falou.
Os problemas financeiros da Tuna, segundo Zé Carlos, só aumentaram quando chegou a Segundinha. 'O que aconteceu foi que, em uma nova reunião no vestiário diante de uma manifestação dos jogadores, o Fred Carvalho prometeu contrato para os atletas e disse o seguinte: 'quem quiser ficar na Tuna, fica, quem não quiser vai embora'. Eles aceitaram e ficaram amarrados ao clube e ninguém recebeu nada. É um absurdo o que está acontecendo no clube!'.
'Eu continuei apesar de todas as divergências com ele. Chegou o momento em que o Fred Carvalho disse para a tesouraria que não teria condições de pagar meu salário e do meu preparador físico. A resposta que ele recebeu foi que a Tuna já tinha condições de fazer os pagamentos. Então, sem mais o que fazer para me afastar, ele disse para o presidente Charles Tuma que se eu não fosse demitido, ele sairia e não pagaria os jogadores', acusou.
Foto: Marcelo SeabraFoto: Marcelo SeabraOutro lado - Diante disto, o ORM News conversou também com o gerente executivo da Tuna, Frederico Carvalho, que rebateu todas as acusações, além de garantir que os salários no clube estão em dia.
'Na verdade, eu acredito que divergências sempre vão existrir, mas a forma com que você encara isto é que faz a diferença. Eu sempre proporcionei as melhores condições possíveis para ele ao longo destes quatro meses. O problema foi que o trabalho dele, que é bom, não aconteceu como esperávamos. No primeiro jogo (da Segundinha), contra uma equipe que começou a treinar uma semana antes da competição, nós tivemos uma dificuldade pra ganhar. Esperamos uma evolução contra o Vila Rica e tivemos ainda mais dificuldade contra um time que começou a treinar 15 dias antes da competição', declarou.
Em relação à acusação de tentativa de influenciar a escalação do time por interesses pessoais e o pagamento de salários, o dirigente informou: 'O Zé Carlos sempre teve automia total para escalar. Em nenhum momento tentamos impor a escalação de um jogador. Sobre os salários, a diretoria e a gerência executiva montaram um planejamento estratégico e financeiro focado para captação de recursos para os jogadores. Eles já receberam os dias trabalhados e receberam 50% do pacote referente à primeira fase. Nós estamos pagando até os jogadores que faziam parte da Tuna Luso, mas saíram, para não termos problemas trabalhistas'.
Agenda - Em meio a esta polêmica, a Tuna enfrentará o Vênus às 15h30 desta quarta-feira (1º), no Souza, em Belém, precisando apenas de um empate para garantir a classificação para as semifinais da Segundinha, que serão disputadas na próxima quarta-feira (8). Se chegar à final, marcada para o dia 11 de outubro, a Lusa já estará classificada para a disputa da primeira fase da primeira divisão do Parazão 2015.

Fonte: ORMNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário