BLOG TUNANTE

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Colônia Portuguesa vai ajudar no caixa da Tuna

Carisma, segundo o dicionário, é um “grande prestígio derivado de uma personalidade excepcional”. Um ser carismático consegue ser bem quisto, poucos desejam mal e muitos preferem estar por perto. Essa denotação pode ser muito bem aplicada à Tuna Luso Brasileira, que já foi capaz, pelo carisma que desperta no torcedor paraense, de juntar as torcidas de Remo e Paysandu, quando participou do Campeonato Brasileiro.
Recentemente, Fabiano Bastos, presidente da Lusa, afirmou que o clube corria o risco de não participar da primeira fase do Parazão devido a um problema que, segundo o próprio Bastos, pode levar a Águia Guerreira a cair – falta de dinheiro. No entanto, surgiu uma nova prova de afeição pela lusa: um grupo de cerca de cinquenta empresários ligados à Colônia Portuguesa decidiu ajudar o clube a tentar sair desta situação ruim.
Segundo o presidente cruzmaltino, uma primeira reunião com parte desses empresários já foi realizada com intuito de deixar tudo certo para injetar recursos no Souza a partir do segundo semestre. “Já tivemos um primeiro encontro para acertarmos tudo. Em agosto, vamos ter a segunda (reunião) para acertar todos os trâmites burocráticos da doação”, revelou o cartola.
O valor do auxílio ficará em torno de cem mil reais. “Eu não iria era colocar a Tuna para disputar o campeonato. Com essa ajuda, vamos poder participar do campeonato”, falou Bastos.
fonte: diário do Pará - edição de 26/05/2011

Tuna Luso feminina é campeã do 1° turno



A Tuna Luso sagrou-se campeã do primeiro turno do campeonato paraense de futebol feminino de 2011 com o futebol de Ju, Denise, Driely, Helaine, Talita, Raquel, Cintia, Anne (Nana), Cácia, Leila (Cris), Lause.



De acordo com declarações dadas pelo presidente da Tuna Luso a um jornal de Belém, a treinadora do futebol feminino, Aline costa, deverá assumir o elenco de profissionais do futebol masculino da Tuna. “O trabalho da Aline é fundamental. Ela será a próxima treinadora do masculino. Ela é trabalhadora, é o primeiro título feminino. Ela está de parabéns pela luta e determinação. A vitória é delas”, afirmou o presidente da Tuna. 


O Pinheirense chegou a abrir o placar mas a Tuna Luso conseguiu virar o jogo ainda no primeiro tempo. No segundo tempo o Pinheirense empatou o jogo e levou a decisão para a cobrança de pênaltis. No final, a vitória foi da Tuna Luso (5 a 4).
Jogadoras de futebol da Tuna Luso em descontração na domingueira da sede campestre.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Divisão do Estado do Pará: falta de foco e oportunismo político

E ao que tudo indica vem aí mais uma divisão de Estado no Brasil. É o Pará, que a depender do resultado da realização de um plebiscito aprovado na Câmara no último dia 5, pode ser dividido em três unidades: Tapajós, Carajás e Pará. A proposta ainda irá para o Senado. Se aprovado, o plebiscito terá seis meses para ser realizado. Grande parte da população é a favor, o resto do país não vê a ideia com bons olhos.
A justificativa é o combate às desigualdades regionais – algumas cidades, a mais de 800 km de distância da capital Belém sentem-se esquecidas pela administração regional.
Trata-se de combate oportunista dos sintomas com encobrimento das causas reais do problema. A criação dos Estados, longe de resolver o problema da pobreza e desigualdade regional aumenta os gastos públicos criando duas (e ineficientes) estruturas burocráticas, que já nascem sob a mácula do oportunismo político e eleitoral (serão mais 2 governadores, 2 assembléias legislativas, 6 senadores e vários deputados federais).
O PIB do Pará em 2008  foi de R$ 58,52 bilhões. O Estado gastou 16% disso com a manutenção da máquina pública. De acordo com o economista do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) Rogério Boueri para o G1,  o  Estado do Tapajós gastaria cerca de 51% do seu PIB e o de Carajás, 23%. A média nacional é de 12,72%. “Nessas bases, não tem estado que se sustente”, afirmou Boueri ao portal.
Um filme já conhecido. Em 1988, a Constituição criou o Estado do Tocantins . Hoje, longe de ser um exemplo de desenvolvimento, o Estado gasta 1/3 de seu PIB com custeio da máquina pública – o absurdo improdutivo estimula o empreguismo e corrupção – de cada dois empregados tocantinenses, um trabalha para o governo.
Não se trata de um problema unicamente de fincanças públicas. Vários outros aspectos devem ser considerados: identidade cultural, desenvolvimento regional, etc. Em entrevista ao Do Blog do Zé, o ex-deputado federal Paulo Rocha (PT-PA) tocou em um ponto central (apesar de defender a divisão do Pará em dois Estados):
"O debate precisa ser melhor qualificado e levar em conta a geopolítica do país como um todo, a partir de uma divisão territorial nacional, e não de um Estado. Realmente há regiões do Pará e do Amazonas, Estados muito grandes, onde a maioria da população defende dividir para alavancar o desenvolvimento e possibilitar uma melhor gestão do poder público. Na minha visão, esse processo deve considerar o projeto de desenvolvimento nacional.
O PIB do Pará em 2008, ressaltou o economista, foi de R$ 58,52 bilhões, e o estado gastou 16% disso com a manutenção da máquina pública. O estado do Tapajós gastaria cerca de 51% do seu PIB e o de Carajás, 23%. A média nacional é de 12,72%. “Nessas bases, não tem estado que se sustente”, afirma Boueri.
fonte: Blog do Paraná http://blogdoparana.wordpress.com/2011/05/10/divisao-do-estado-do-para-falta-de-foco-e-oportunismo-politico/

domingo, 22 de maio de 2011

Tuna Luso feminina na final do primeiro turno

A Tuna Luso feminina teve um dificil compromisso na manhã deste domingo (22), em jogo realizado no estádio francisco Vasques (o Souza). As meninas do futebol da Tuna venceram o Cruz Azul pelo placar de 2 a 1 e classificaram-se  para disputar a final do primeiro turno, no próximo domingo (29) em local a ser definido, contra o vencedor de Pinheirense e Bandeirantes.

II Regata homenageou o remador Heronides Moura, da Tuna Luso

A II regata do campeonato paraense de remo 2011 aconteceu na manhã deste domingo (22), na raia baía de Guajará, com chegada das provas no complexo Turístico Estação das Docas.
As provas tiveram início às 08:40h, conforme programação e contou com 10 provas (4+, 2X, 2-, 1X, 2+, 4X, 1X, 2X, 4-, 8+). Tuna Luso Brasileira, Clube do Remo e Paysandu participaram da segunda regata.

CLASSIFICAÇÃO DA II REGATA:
1º lugar: Clube do Remo com 25 pontos (não disputou a 6ª prova)
2º lugar: Tuna Luso com 26 pontos 
3º lugar: Paysandu com 18 pontos

CLASSIFICAÇÃO GERAL (I e II regatas) 
1º lugar: Clube do Remo (25 + 27 = 52 pontos)
2º lugar: Tuna Luso (26 + 21 = 47 pontos)
3º lugar: Paysandu (15 + 18 = 33 pontos)

CONFUSÃO
O que deveria ser apenas uma manhã de divertimento, homenagem e emoção, acabou virando confusão no final da prova do Oito Com (8+). Aconteceu que na ótica dos presentes na Estação da Docas, mesmo com uma pequena diferença, o vencedor da prova 8+ pareceu ter sido o Paysandu mas para o juiz da prova o vencedor foi o barco do Clube do Remo, o que gerou um grande mal estar e protesto por parte de diretores e atletas do Paysandu.  decisão do juíz foi mantida e é bem provável que o Paysandu leve a decisão para o tribunal. O Paysandu ameaça deixar o campeonato em função do acontecido.
O Clube do Remo foi o vencedor da segunda regata do campeonato com cinco primeiros lugares, além de conquistarem três segundos lugares e um terceiro, totalizando 27 pontos. A Tuna Luso ficou em segundo lugar com três primeiros lugares, dois segundos e cinco terceiros, com 21 pontos. O Paysandu só venceu dois primeiros lugares, ficando com cinco segundos lugares e um terceiro, somando 19 pontos.
Na classificação geral do campeonato, o Clube do Remo tem 52 pontos, seguido por Tuna, com 47, e o Paysandu, com 33.

HOMENAGEM
O atleta Heronides Gomes Moura, ex-remador da Tuna Luso, foi homenageado. Heronides era natural Curralinho, cidade da Ilha do Marajó, nascido em 1923. Foi remador na Tuna Luso de 1945 até 1956. O atleta respirava remo pois morava na garagem náutica da Tuna enquanto completava o curso de engenharia civil, ajudado por seus colegas de esporte e pela diretoria da Tuna, representada pelos senhores Illydio Gomes e Francisco Carrapatoso, dentre outros.
Este grande desportista colaborou muito com a Tuna Luso, seja como atleta ou como diretor, de onde teve a honra de receber o título de "Sócio Benemérito". Heronides também foi diretor de remo da Federação Paraense de Desportos. Faleceu no dia 02 de junho de 2010 e foi representado na regata de hoje por seus familiares.     

II Regata vai homenagear Heronides Moura, o grande remador cruzmaltino.

Heronides com algumas de suas medalhas
O grande atleta náutico da Tuna Luso Brasileira  Heronides Gomes Moura será homenageado na II Regata 2011, que acontecerá na manhã deste domingo, a partir das 8 horas, na Baia do Guajará. As 10 provas que compõem a programação da Regata, fazem parte do Campeonato Paraense de Remo, promovido pela Federação Paraense de Remo -FEPAR. A  chegada dos barcos será na Estação das Docas.
A família de Heronides, que era Engenheiro Civil, e faleceu em 2010 aos 87 anos, ofertará uma belíssima taça à Tuna Luso Brasileiua, que foi a vencedora da primeira regata deste ano, acontecida em Abril. Vários parentes de Heronides, inclusive filhos, se farão presentes à Regata. Segundo o presidente da FEPAR Luizomar, juntamente com toda a diretoria da FEPAR, esperam que a II Regata seja uma das mais concorridas e bonitas dos últimos tempos, já que Tuna e Remo estão praticamente empatados e o Paysandu quer ganhar a Regata. Para o evento estarão presentes parentes de Heronides Moura de  Belém e outros que chegarão de outros estados para prestigiar a homenagem ao remador da Tuna, que era também Benemérito cruzmaltino e torcedor fervoroso da Águia. Além de atleta, Heronides foi também um grande colaborador para o sucesso do esporte náutico no Estado do Pará, tendo sido Diretor de Remo da Federação Paraense de Desportos.

A "Guarnição dos Bonitões"

Heronides Gomes Moura nasceu em Curralinho, em 1923, era casado com a sra. Laura Moura, com quem teve três casais de filhos. Foi um dos mais importantes remadores da Tuna Luso Brasileira durante 12 anos, de 1945 a 1956, época em que a Águia tornou-se famosamente conhecida como "A Rainha do Mar", pois  era absoluta neste esporte, tendo ganho de 1945 a 1957 nada menos que  11 títulos,  10 deles seguidos.
Heronildes Gomes de Moura, juntamente com Manoel Cristino, Orlandino Ventura, Esmeraldo e Buck Jones, formaram o 4 com 1 mais famoso da época, conhecido como "A Guarnição dos Bonitões".
fonte: Blog Didascália

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Nossa Senhora de Fátima


Nossa Senhora de Fátima (ou Nossa Senhora do Rosário de Fátima) é uma das designações atribuídas à Virgem Maria que, segundo a Igreja Católica, terá aparecido repetidamente a três pastores, crianças na altura das aparições, no lugar de Fátima, tendo a primeira aparição acontecido no dia 13 de Maio de 1917. Estas aparições terão continuado durante seis meses seguidos, sempre no mesmo dia (exceptuando em Agosto). A aparição é associada também a Nossa Senhora do Rosário, sendo portanto aceite a combinação dos dois nomes - dando origem a "Nossa Senhora do Rosário de Fátima" - pois, segundo os relatos, "Nossa Senhora do Rosário" teria sido o nome pelo qual a Virgem Maria se haveria identificado, dado que a mensagem que trazia consigo era um pedido de oração, nomeadamente, a oração do Santo Rosário.
Fecha o ciclo de aparições iniciado em Paris, como Nossa Senhora das Graças, sucedida pela aparição em La Salette e Lourdes.

Três crianças, Lúcia de Jesus dos Santos (de 10 anos), Francisco Marto (de 9 anos) e Jacinta Marto (de 7 anos), afirmaram ter visto Nossa Senhora no dia 13 de Maio de 1917 quando apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Aljustrel, pertencente ao concelho de Ourém, Portugal.
Segundo relatos posteriores aos acontecimentos, por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, as crianças teriam visto uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo depois, outro clarão teria iluminado o espaço. Nessa altura, teriam visto, em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol".
Segundo os testemunhos recolhidos na época, a senhora disse às três crianças que era necessário rezar muito e que aprendessem a ler. Convidou-as a voltarem ao mesmo sítio no dia 13 dos próximos cinco meses. As três crianças assistiram a outras aparições no mesmo local em 13 de junho, 13 de julho e 13 de setembro. Em agosto, a aparição ocorreu no dia 19, no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque as crianças tinham sido levadas para Vila Nova de Ourém pelo administrador do Concelho no dia 13 de agosto.


A 13 de outubro, estando presentes na Cova da Iria cerca de 50 mil pessoas, Nossa Senhora teria dito às crianças: "Eu sou a Senhora do Rosário" e teria pedido que fizessem ali uma capela em sua honra (que atualmente é a parte central do Santuário de Fátima). Muitos dos presentes afirmaram ter observado o chamado milagre do sol, prometido às três crianças em julho e setembro. Segundo os testemunhos recolhidos na época, o sol, assemelhando-se a um disco de prata fosca, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra. Tal fenómeno foi testemunhado por muitas pessoas, até mesmo distantes do lugar da aparição. O relato foi publicado na imprensa por vários jornalistas que ali se deslocaram e que foram testemunhas do fenómeno. Contudo, há testemunhos de pessoas que afirmaram nada ter visto, como é o caso do escritor António Sérgio, que esteve presente no local e testemunhou que nada se passara de extraordinário com o sol, e do militante católico Domingos Pinto Coelho, que escreveu na imprensa que não vira nada de sobrenatural. Entretanto, testemunhas da época afirmaram que o facto não aconteceu com o sol (este ficou do mesmo tamanho) mas sim com um objecto luminoso que se destacou no céu, girando sobre si próprio e mudando de cor.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa doroteia, Nossa Senhora ter-lhe-á aparecido novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13 para 14 de Junho de 1929, no Convento de Tui), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração.
Anos mais tarde, nas suas Memórias, Lúcia contou ainda que, entre abril e outubro de 1916, teria já aparecido um anjo aos três pastorinhos, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência, e afirmando ser o "Anjo de Portugal".
Este anjo teria ensinado aos pastorinhos duas orações, conhecidas por Orações do Anjo, que entraram na piedade popular e são utilizadas sobretudo na adoração eucarística.

Oração à Nossa Senhora de Fátima

Santíssima Virgem,
que nos montes de Fátima vos dignastes revelar
aos três pastorinhos os tesouros de graças
que podemos alcançar, rezando o Santo Rosário,
ajudai-nos a apreciar sempre mais esta santa oração,
a fim de que, meditando os mistérios da nossa redenção,
alcancemos as graças que insistentemente vos pedimos

  • peça a graça pretendida
Maria Santíssima, volvei vossos olhos misericordiosos
para este mundo tão necessitado de Paz, de Saúde e Justiça.

Vinde em nosso auxílio, Mãe dos Aflitos,
e Socorrei-nos com Vosso Amor e Piedade.

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, rogai por nós.

Rezar
1 Pai-Nosso, 1 Ave-Maria, 1 Glória ao Pai.

domingo, 15 de maio de 2011

Episódio repetido no Souza


Como nos últimos anos, Tuna Luso perde em casa e, mais uma vez, terá que disputar primeira fase do Parazão

Tuna mais uma vez frustrou seus torcedores. Jogando em casa, o time foi derrotado ontem pelo Cametá por 2 a 1. O resultado força a Lusa a, mais uma vez, disputar a primeira fase do Campeonato Paraense, que tem início no final deste ano. Já o Cametá, que jogou com autoridade desde o primeiro tempo, chegou à segunda colocação na tabela, o que lhe dá a vantagem de jogar por dois resultados iguais contra o São Raimundo para ir à final do returno.
O primeiro duelo acontece sábado, no Colosso dos Tapajós. A diretoria da Tuna se reunirá amanhã para definir o futuro do time de futebol profissional. O público do Souza foi fraco.
O Cametá assustou a primeira vez na partida com Leandrinho, que recebeu passe de Robinho nas costas do lateral esquerdo Hallyson, da Tuna, mas foi travado por Japonês quando preparava o chute.
Porém, na segunda chance, o Cametá teve uma falta frontal. Mocajuba e Robinho se posicionaram, o lateral esquerdo correu para cobrar, mas passou da bola, em jogada ensaiada, e deixou para Robinho bater rasteiro, no canto, sem chances para o goleiro Adriano.
A impressão que dava era que a Tuna, apesar de conseguir manter a posse de bola, não sabia o que, nem como, fazer acontecer no setor de ataque. E o pior: a cada subida, propiciava contra-ataques para o rival. E foi assim que o Cametá chegou ao segundo gol.
Jailson se aproveitou do corredor criado nas costas do lateral esquerdo Hallyson e recebeu passe livre. O atacante entrou na área, puxou para o meio, driblou o zagueiro e deixou o goleiro sentado para coroar a jogada com um toque sutil por cobertura. Um golaço. Ainda no primeiro tempo, Mazinho sacou Cleidir para colocar mais um atacante: Fabinho.
Na segunda etapa, a Tuna mudou a postura. Mazinho tentou recompor o meio com a entrada de Alexandre Pinho. A alteração proporcionou maior volume de jogo ao time luso, porém a falta de objetividade continuava a mesma. A Tuna se beneficiou da expulsão de um adversário para tentar sufocar. E aos 17 minutos, a tática deu resultado: Max subiu mais que a zaga e fez de cabeça o primeiro gol dos cruzmaltinos.
O gol empolgou o time, que passou a acreditar no empate. Faltou pontaria. Felipe Mamão teve chance clara de marcar ao receber bola na velocidade já dentro da área, mas chutou na rede pelo lado de fora. Em outra oportunidade, o atacante pegou de frente para André Luís, e chutou em cima do goleiro. O assistente marcou impedimento. O ímpeto da Tuna foi tão grande que, por pouco, o Cametá não faz o terceiro. Adriano fez um milagre e jogou para escanteio.

Tuna
Adriano, Hugo Deleon, Max Melo, Bruno Prado e Hallyson; Pitbull, Japonês (Zazá), Cleidir (Fabinho) e Dudu (Alexandre Pinho); Kanu e Felipe Mamão. 
Técnico: Mazinho

Cametá
André Luiz, Américo, Joatan, Alisson e Mocajuba; Adenísio, Romeu, Leandrinho (Guilherme) e Robinho; Jailson (Wilson Guerreiro) e Leandro Cearense (Cassiano). 
Técnico: Fran Costa

Estádio: Souza, em Belém 
Árbitro: Nadilson Sousa dos Santos 
Gols: Robinho, aos 16min, e Jailson, aos 32min do 1º tempo; Max, aos 17min do 2º tempo Cartões amarelos: Fabinho, Japonês e Kanu (T); Alisson e Mocajuba (C)
Expulsão: Mocajuba (C) 
Renda: R$ 1.760,00 
Público pagante: 176 (234 presentes)
fonte: Amazônia Jornal

Comentário de torcedor


Leia o comentário de um atuante torcedor tunante, enviado logo após o final da decepicionante derrota da Tuna para o modesto Cametá:

"Anônimo disse...
É preciso construir uma estrutura sólida para todo o esporte tunante. Conseguir apoios financeiros. É triste ver a Tuna lutando para nao cair e mais triste é vê-la cair. E ainda é mais triste quando ela não consegue subir. São coisas que a Tuna não deveria passar, mas passa. Em alguns esportes a Tuna vem se destacando. Bom seria que no futebol profissional os tempos gloriosos voltassem. 
Porém, com dinheiro escasso, vários problemas, pouco apoio, fica sem dúvida mais dificil. 
Futebol hoje em dia precisa de verbas, trabalho, organização, estrutura, seriedade. Com muitas verbas, mas sem os outros itens pode-se até conseguir ótimos resultados no início, porém isso não dura muito e às vezes o clube acaba enrolado em dívidas. Às vezes nem os resultados aparecem sem os outros itens. 
Por outro lado, sem uma verba mínima necessária, mesmo com muita disposição e organização, é muito difícil manter o futebol, pois é preciso pagar jogadores, comprar material, ter como pagar outras despesas etc.
Precisamos de fonte de renda, criar uma estrutura no futebol, ter os apoios necessários.
Nossa torcida é valorosa, mas infelizmente pouco numerosa. Portanto, não será o público pagante a fonte maior de renda. Temos que pensar em outras opções. Ainda há outros fatores extra-campo que nos atrapalham. Mas se conseguíssemos ter a renda necessária e estrutura, teríamos mais chances, mesmo com os fatores externos. 
Um abraço cruzmaltino
Márcio Rodrigues

Tuna Luso perde e terá que disputar a 1ª fase

A Tuna Luso só precisava de um simples empate para não depender do resultado de Castanhal e Águia de Marabá para se garantir na fase principal do Campeonato Paraense 2012. Porém, atuando no estádio Francisco Vasques, o Sousa, a Lusa caiu para o Cametá por 2 a 1 e terá que, novamente, disputar a primeira fase do torneio na próxima temporada.
O Cametá abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo, com falta cobrada com perfeição pelo meio-campo Robinho, grande destaque da equipe cametaense: 1 a 0. Totalmente perdido em campo, o time do técnico Mazinho não conseguia se encontrar em campo e não demorou muito a levar o segundo gol diante da sua torcida. Com 32 minutos, o atacante Jailson fez 2 a 0 para o Mapará.
Para o segundo tempo, a torcida da Cruz de Malta vibrou com o gol marcado pelo meio-campo Max Melo, de cabeça, aos 17 minutos. Entretanto, faltava elenco para a Tuna e jogadores que pudessem desequilibrar. Sem eles, os cruzmaltinos perderam dentro de casa e vão ter que disputar a primeira fase da competição estadual no próximo ano. 
fonte: Gustavo Pêna, DOL.

Placar do Parazão após a última rodada do 2º turno.



7ª RODADA
Paysandu
3 x 1   
S.Raimundo
 15.05  
DOM
 16h00
Curuzu
Castanhal
1 x 2
Águia
15.05
DOM
 16h00 
Castanhal
Tuna Luso
1 x 2
Cametá
15.05
DOM
 16h00
Souza
Independente
2 x 1
Clube do Remo
15.05
DOM
 16h00
Tucuruí
CLASSIFICAÇÃO GERAL
POS
TIMES
PG
J
V
E
D
GP
GC
SG
PAYSANDU
33
18
10
3
5
42
33
9
REMO
31
16
9
4
3
29
19
10
CAMETÁ
27
18
8
3
7
38
36
2
INDEPENDENTE
25
16
8
1
7
29
24
5
S.RAIMUNDO
19
14
5
4
5
23
22
1
ÁGUIA
13
14
3
4
7
18
25
-7
TUNA LUSO
12
14
2
6
6
13
24
-11
CASTANHAL
11
14
2
5
7
12
21
-9

sábado, 14 de maio de 2011

Vote na Raquel Castro



Nome:  Raquel Conceição Rodrigues de Castro
Apelido: Raquel Conceição
Clube: Associação Dom Quixote
Conquistas
Raquel tem 13 anos, é atleta da Associação Dom Quixote e suas principais conquistas em 2010 foram:

- 3º lugar no Camp. Brasileiro sub-13 (2010), em Campo Grande(MS);
- Campeã Brasileira região I, em São Luis-MA (2010);
- Campeã da 2ª Copa Ceará, em Fortaleza-CE (2010);
- Campeã do Campeonato Paraense 2010;
- Campeã do Torneio Agostinho Maciel 2010.

PARA VOTAR NA JUDOCA RAQUEL CASTRO:
large;">http://www.orm.com.br/trofeu/

Escolha os melhores pratos de Portugal

Até 7 de setembro, vote nos 7 pratos mais representativos da saborosa cozinha portuguesa

Foto: Mauro Holanda/Divulgação
O Bacalhau à Gomes de Sá, um dos ícones da culinária portuguesa. Na foto, receita do restaurante Trindade, de São Paulo
Uma ideia tão boa quanto um prato de bacalhau bem feito: a eleição das 7 Maravilhas Gastronômicas de Portugal. Com uma culinária que privilegia o sabor antes de mais nada, a querida “terrinha” tem um vasto repertório de pratos suculentos que mexem com a emoção de quem está à mesa. E agora escolhe, com participação de pessoas do mundo inteiro, suas receitas mais formidáveis.
Foto: Divulgação
O inigualável Pastel de Belém tem a doçura dos grandes momentos

A “cozinha do gosto autêntico”, como é comumente chamada dentro e fora do país, carrega tradições de séculos e modos particulares de uso dos ingredientes. Do mar, das serras e planícies, há um quase tudo para todos os gostos, como mostram os pratos selecionados nas 10 regiões do país para a grande escolha final. A votação é pública, por SMS, telefone, internet e Facebook, indo até o dia 7 de setembro deste ano, quando serão anunciados os vencedores na cidade de Santarém. 
Foto: Mauro Holanda/Divulgação Restaurante Trindade
Outro sucesso português em todos os lugares, o bolinho de bacalhau



Uma primeira triagem foi feita e 70 receitas foram listadas por 70 pessoas ligadas à gastronomia; em seguida, 21 personalidades do país elegeram as 21 finalistas, três de cada nas sete categorias: entrada, sopa, marisco, peixe, caça, carne e doce. São elas:
Entrada – alheira de Mirandela, queijo da Serra da Estrela, pastel (bolinho) de bacalhau.
Sopa – açorda à alentejana; caldo verde, sopa de pedra.
Marisco – amêijoas à Bulhão Pato, arroz de marisco, xarém com conquilhas.
Peixe – bacalhau à Gomes de Sá, polvo assado no forno, sardinha assada.
Caça – coelho do Porto Santo à caçador, coelho à caçador, perdiz de escabeche de Alpedrinha.
Carne – chanfana, leitão da Bairrada, tripas à moda do Porto.
Doce – pastéis de Tentúgal, pastel de Belém, pudim abade de Priscos.
Essa forma de eleição segue-se a outra, realizada anteriormente, que escolheu as 7 Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo: Fortaleza de Diu (Índia), Fortaleza de Mazagão (Marrocos), Basílica do Bom Jesus de Goa (Índia), Cidade Velha de Santiago (Cabo Verde), Igreja de São Paulo (Macau), Igreja de São Francisco de Assis (Ouro Preto, Minas Gerais) e Convento de São Francisco e Ordem Terceira (Salvador, Bahia).
Serviço: Para votar, clique aqui: 7 maravilhas