quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

CAMPEONATO PARAENSE DE FUTEBOL 2010

CLASSIFICAÇÃO DO 1º TURNO
TAÇA CIDADE DE BELÉM

POS TIMES PG J V E D GP GC SG
1° REMO: 16 6 5 1 0 18 6 12
2° INDEPENDENTE: 10 6 3 1 2 13 11 2
3° PAYSANDU: 10 6 2 4 0 8 6 2
4º SANTA ROSA: 8 6 2 2 2 5 7 -2
5° CAMETÁ: 7 6 1 4 1 5 5 0
6º ÁGUIA: 5 6 1 2 3 12 13 -1
7° SÃO RAIMUNDO: 5 6 1 2 3 5 7 -2
8° ANANINDEUA: 3 6 1 0 5 8 19 -11

Nota: A justiça divina tarda mas não falha. Para um time que ganhou sua vaga para esta 2ª fase do campeonato de forma estranha e contestável, eliminando assim a Tuna Luso da fase principal, agora encontra-se em seu devido lugar!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

PARAZÃO DE FUTEBOL FEMININO 2010

















Quatro contratações para o futebol feminino da Tuna

A Tuna terá quatro reforços para disputar o Campeonato Estadual de futebol feminino de 2010, previsto para iniciar dia 7 de março. As atletas Rachel (ex-Pinheirense), Perotes (ex-Cruz Azul/Esmac), Cris (ex-Estrela/Barcarena), e Sheila (Castanhal). As novas jogadoras deve chegar para oxigenar e repor as saídas de Suzi (atacante) e de Mirielli (goleira), que foram para o Clube do Remo; a Andreza (atacante) que foi para a Cruz Azul/Esmac), e a Aurilene (zagueira), para o Pinheirense.

Somado aos novos reforços, o futebol de campo feminino da Lusa está com um novo diretor. João Barbosa.

Além das novidades supra-citadas, informamos também que a técnica Aline está treinando com suas atletas mas estão precisando do apoio da torcida cruzmaltina e de seus colaboradores. O grande colaborador Mário Mangas, gestor da Eletrônica Solar, doará 11 pares de chuteiras novas para a equipe feminina da Tuna.

Em 2009 a Tuna Luso foi vice campeã do campeonato, perdendo para o Pinheirense a disputa da final nos penaltys. Neste ano a disputa promete ser maior pois teremos a entrada do Clube do Remo e o reforço das demais equipes.

FPF convoca para o certame feminino/2010
Federação Paraense de Futebol emitiu no último dia 19.02.2010, Edital de Convocação para a reunião a ser realizada no dia 25.02.2010 (5ª feira) às 15:00h. em sua sede na Rua Paes de Souza, 424, Bairro do Guamá, Belém, Pará, a fim de tratar da formação do Conselho Técnico em deliberação do Campeonato Feminino de 2010. Veja na integra o Edital de Convocação.... leia

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Nota de Falecimento

Lamentamos informar aos amigos e amigas que na sexta-feira passada, 19/02, vítima de Efizema Pulmonar, faleceu em Belém do Pará a Sra. Dalgiza Oliveira, esposa do Grande Benemérito e colaborador da Tuna Luso, professor Péricles da Motta Oliveira. Dona Dalgiza, como era carinhosamente conhecida por todos que frequentavam o clube cruzmaltino, também era colaboradora e frequentadora do Rotary Clube Belém-Sul, de onde o professor Péricles é membro.
O corpo de dona Dalgiza foi velado na capela da Beneficência Portuguesa de onde seu corpo saiu às 11:00h do sábado, 20/02, para o cemitério Recanto da Saudade. Durante o traslado para o Recanto da Saudade, os carros que acompanhavam o enterro pararam em frente da Tuna Luso Brasileira onde dona Dalgiza recebeu merecidas homenagens dos funcionários do clube e durante cerca de 10 minutos a sirene soou marcando a passagem de dona Dalgiza.
Ao professor Péricles e familiares o nosso grande pesar pela irreparável perda.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Poesia de Quinta

por: Deíla Maia
Pessoal,
Recentemente, ganhei de presente a obra completa de uma das minhas poetisas prediletas, Cecília Meireles... Então, não poderia deixar de compartilhar com vocês tão precioso e delicado regalo. Cecília Meireles era uma mulher batalhadora. Órfã de pai antes mesmo de nascer e também sem a mãe pouco tempo depois, a perda e a orfandade são elementos significativos na vida desta autora. Criada pela avó e com intensa relação com a efemeridade da vida, a sua poesia é lírica e extremamente reflexiva. Ofereço à Poesia de Quinta de hoje a uma das mais assíduas e argutas comentadoras deste despretensioso espaço de debate poético, sendo que esta poesia "Noções" me lembrou muito desta pessoa e de suas reflexões filosóficas sobre a vida e o viver. Para Fernanda Thomé, com carinho.
Beijos
Deíla

PS: Esqueci que ontem era 5ª feira!!!! A poesia já estava até pronta, mas eu esqueci de enviar. Desculpem!!!!

NOÇÕES
Cecília Meireles

Entre mim e mim, há vastidões bastantes
para a navegação dos meus desejos afligidos.

Descem pela água minhas naves revestidas de espelhos.
Cada lâmina arrisca um olhar, e investiga o elemento que a atinge.

Mas, nesta aventura do sonho exposto à correnteza,
só recolho o gosto infinito das respostas que não se encontram.

Virei-me sobre a minha própria existência, e contemplei-a
Minha virtude era esta errância por mares contraditórios,
e este abandono para além da felicidade e da beleza.

Ó meu Deus, isto é a minha alma:
qualquer coisa que flutua sobre este corpo efêmero e precário,
como o vento largo do oceano sobre a areia passiva e inúmera...

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Tuna Luso 3x1 Fluminenese(BA) - Campeã da 3ª divisão do campeonato Brasileiro 1992

Locução do 1º gol Gol do artilheiro Ageu Sabiá na decisão do Campeonato Brasileiro de futebol de 1992 (Série-C).

Tuna Luso Brasileira

Campeã! Campeã! Campeã!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

CANCELAMENTO DA TAXA TELEFÔNICA

Será votado em MARÇO o Projeto de Lei n.º 5476, de 2001, para o CANCELAMENTO da TAXA TELEFÔNICA de R$ 40,37 (residencial) e R$ 56,08 (comercial) .

1) Ligue 0800-619619 (de segunda à sexta-feira das 08 às 20h00) ;
2) Ouça o menu;
3) Aperte 1 e espere a opção eletrônica;
4) Digite 1 novamente, que é para votar a favor do cancelamento da taxa de telefone fixo.

Quando se trata do interesse da população, quase nada é divulgado. Esse tipo de assunto NÃO costuma ser veiculado na TV ou no rádio. Então, nós é que temos de correr atrás, afinal quem paga a conta somos nós!

Dê também o seu apoio a este excelente projeto de Lei. Vamos lá pessoal, é simples e funciona mesmo!

Passe para frente e envie esta mensagem para o maior número possível pois entrando em vigor esta lei, você pagará apenas pelas ligações efetuadas, acabando com esse roubo que é a assinatura mensal.

Este projeto está tramitando na 'COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR', na Câmara Federal. Quanto mais pessoas ligarem, maior será a chance de aprovação.

Não adianta a gente ficar apenas reclamando. Quando podemos, podemos e devemos tomar alguma atitude.

O BRASIL AGRADECE!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Opinião do leitor

Publicamos abaixo o comentário do amigo Marcio, leitor e visitante atuante desse blog, feito em 15 de fevereiro, sobre a matéria "Lusa amarga jejum de 20 anos", publicada no Amazônia Jornal do dia 13/02. Marcio disse:

"Creio que os problemas da Tuna não se originaram somente ao que o jornalista aponta. Eu adquiri um título de sócio remido para poder ajudar a Tuna e poder também ser um sócio da Tuna. Talvez tenha havido uma oferta excessiva de títulos. Pessoas que não tinham simpatia pelo clube e que depois como sócios proprietários não pagaram as mensalidades ou que não zelaram pelo clube. Mas será que a Tuna tinha que ficar dependendo só destes fatores citados para ter condições de disputar em igualdade com Remo e Paysandu? Não faltou algo mais? Um projeto mais consistente? Uma união maior entre os grandes do clube? Afinal, quem tinha uma história de amor pelo clube deveria continuar apoiando-o mesmo que não gostasse de vê-lo aberto a outras classes sociais. É o que eu penso. Então, se formos ver desta maneira, prevaleceu por parte de algumas pessoas o puro egoísmo, se não estou gostando de frequentar o clube ele que se lixe. E o que o clube representa? Um clube que nasceu na colônia luso-paraense e que conquistou títulos nacionais, que muitas vezes valorizou a prata da casa, deu oportunidade para atletas que se revelaram como talentos e foram para outros clubes do país. Será que não houve uma certa acomodação? Será que não aconteceram certos erros que prejudicaram o clube? Se formos ver, Remo e Payssandu na mesma época também saíram vendendo títulos "a torto e a direito". O Remo vendeu muitos títulos da sua sede campestre e agora nem existe a sede campestre. Será que estes sócios não foram assim enganados? Não teriam direito a um ressarcimento? E as dívidas de Remo e Paysandu? Não foram erros enormes? Se não fosse a influência política não teriam Remo e Paysandu já perdido grande parte de seu patrimônio? Se a Tuna se encontrasse em situação parecida não teriam liquidado com ela? Os juízes seriam complacentes? Acho que a questão envolve vários fatores. Muitos antigos grandes beneméritos morreram. Penso que estes jamais abandonariam a Tuna em momentos de dificuldades. A Tuna pode ter nascido na elite, mas teve também uma ligação popular no esporte com a formação e/ou participação de atletas de origem bem humilde em alguns esportes, muitos vindos de diversas cidades paraenses. Só que não conseguiu atrair uma torcida maior. Ficou à sombra de Remo e Paysandu em termos de torcidas gigantescas. Creio que pode ser justamente por não ter conseguido no passado atrair mais torcedores que hoje se ressinta de uma base de apoio. Se ela se fechasse para sempre como uma clube elitizado e fechado às classes menos favorecidas teria agora como competir? Por acaso há algum clube elitizado de Belém que se aventure em vários esportes (não em um ou dois) e principalmente o futebol profissional? O América, uma outrora grande força do Rio no futebol hoje em dia vive uma crise. Não tem mais projeção no futebol e está arriscado de perder sua sede. O que houve com ele? Temos que pensar em soluções. Decerto podem ter havido erros. Mas é preciso achar uma saída. Ou nos resignarmos a ver a Tuna sair das disputas do futebol e talvez de outros esportes.

Um abraço.

Márcio"

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Lusa amarga jejum de 20 anos


cruzmaltinos não conquistam o campeonato paraense desde 1988
Ferreira da Costa

É profundamente lamentável para toda a torcida paraense o fato de a Tuna Luso Brasileira, a Elite do Norte, ficar de fora do banquete do Campeonato Paraense de Futebol pela terceira vez. Afinal, quem é Remo ou Paysandu não esconde sua simpatia pelo grêmio de origem lusitana. E a participação da Tuna no certame estadual sempre foi tradição e serviu para dar equilíbrio à disputa. Quantas vezes a Lusa roubou a cena, jogando para escanteio a dupla Re-Pa? Várias. São dez títulos do certame estadual e dois campeonatos brasileiros, que enriquecem o patrimônio do futebol luso.
A queda da Tuna no futebol se acentuou a partir do início do século 21. No entanto, o declínio começou muito antes. Segundo consta nos bastidores, os problemas começaram quando aqui aportaram vendedores de títulos de sócio proprietário e de sócio remido vindos de outras regiões. Iludiram os dirigentes lusos. A Tuna, clube de elite, que possuía como seus associados a nata da colônia lusa e também muitos brasileiros de 'classe A', foi aberta às outras classes sociais. Pessoas humildes passaram a ter título de sócios proprietários da Tuna. Foi uma 'enchente'. Com isso, os associados tradicionais se afastaram, procurando outras agremiações, como Pará Clube, Assembleia Paraense e Grêmio Literário Português.
A crise, a partir daí, se acentuou, pois a Tuna não pôde mais contar nem com os antigos associados, os da classe A, bem como das demais categorias sociais, B, C e D, que deixaram de pagar seus títulos e mensalidades, taxas de manutenção, etc.
Sem numerário para bancar o futebol com a contratação de grandes valores de outras praças, a Tuna começou a amargar o fantasma do rebaixamento de divisão nos campeonatos nacional e estadual. Até 2005, ainda conseguiu se manter de pé, formando seu time com base nas escolinhas. Mas a partir daí surgiram novas forças, vindas do interior do Estado, que acabaram entrando no banquete e desbancando a Lusa. Nesse caso, Cametá, Águia, São Raimundo, Castanhal e Ananindeua, que deram nova vida à disputa, revitalizando o Estadual.
Em 2006, a Tuna ficou de fora do Campeonato Paraense. Em 2007, recuperou-se e chegou até a ameaçar o Remo, disputando a final, mas ficou com o vice-campeonato, tendo feito 22 jogos, com 6 vitórias, 11 empates, 5 derrotas, 21 gols pró, 25 gols contra, déficit de 4 bolas. Em 2008, uma vergonha: a Tuna, entre dez equipes, acabou na vice-lanterna, só ficando à frente do Pedreira. Jogou 18 partidas, venceu 4, somou 10 derrotas, 4 empates, marcou 19 gols e sofreu 36, com saldo negativo de 17. Em 2009, foi disputar a Segundinha e não alcançou classificação. Em 2010, a dose se repetiu.
Uma pena a Tuna de fora do campeonato. Só temos que torcer a fim de que os verdadeiros tunantes se unam e tragam de volta a Elite do Norte no próximo Estadual.

Os times campeões
Títulos estaduais
1937 - Licínio, Setenta e Cinco; Aldomário, Pelado e Setenta e Sete; Lulu, Conegas, Jango, Pitota e Patesko.
1938 - Bubu, Setenta e Cinco; Aldomário, Pio e Macedo; Lulu, Conegas, Pinhegas, Pitota e Matos.
1941 - Simeão, Bereco e Cinco; Chiquinho, Pio e Setenta; Monard, Lulu, Conegas, Pitota e Poeira.
1948 - Dodó, Sabá e Conde; Totinha, Nonato e Biroba; Juvenil, China, Palito, Teixeirinha e Daniel.
1951 - Dodó, Bereco e Sabá; Abimael, Bendelack e Biroba; Juvenil, Teixeirinha, Paulo Oneti, China e Daniel.
1955 - Sarará, Mário Nei e Nonato; Maneco, Sátiro e Muniz; Juvenil, China, Estanislau, Teixeirinha e Daniel.
1958 - Sarará, Peruzinho e Nonato; Ivan, Sátiro e Muniz; Edílson, Chininha, Estanislau, China e Juvenil.
1970 - Omar, Marinho, Abel, Carvalho e Acari; Antenor e Waltinho; Fefeu, Mesquita, Leônidas e Gonzaga.
1983 - Mário Fernando, Quaresma, Bira, Ronaldo e Mário Vigia; Samuel, Queiroz e Jorginho; Tiago (Dorval), Miltão (Mariolino) e Luís Carlos.
1988 - Nunes, Jair, Belterra, Paulão e Jango; Maracanã (Sanauto), Dema e Vicente; Tiago, Cabinho e Gil Mineiro (Ageu).

Títulos Nacionais
1985 - Taça de Prata (2ª Divisão do Brasileiro) - Ocimar, Quaresma, Paulo Guilherme, Ronaldo e Mário Vigia; Ondino, Queiroz e Edgar; Tiago (Puma), Paulo César e Luís Carlos.
1992 - 3ª Divisão do Brasileiro - Altemir, Mário Vigia, Juninho, Luiz Otávio e Joãozinho; Varela, Ondino, Jaime e Sanauto; Ageu (Manelão) e Tarcísio (Guilherme).

fonte: Amazônia Jornal - Edição de 14/02/2010

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

TUNA LUSO BRASILEIRA - SUAS MAIORES CONQUISTAS


A Tuna Luso Brasileira, equipe fundada em 01 de janeiro de 1903 em Belém-PA, é considerada com o Paysandu e o Clube do Remo, as equipes mais tradicionais do estado.
Ao longo de sua história, conquistou vários títulos, mas sem dúvida as suas grandes conquistas foram dois títulos a nível nacional.

Em 1985 a equipe paraense conquistou a Taça de Prata (nome dada na época a 2ª divisão), com uma excelente campanha. Disputou 10 jogos, com 7 vitórias, 2 empates e apenas 1 derrota. Marcou 18 gols e sofreu 7 gols. O seu artilheiro nesta competição foi Paulo César com gols.

A sua campanha foi a seguinte:

TUNA LUSO - MOTO CLUBE (MA) 0-0 3-0

TUNA LUSO - RIO NEGRO (AM) 1-0 2-1

TUNA LUSO - FORTALEZA (CE) 0-0 5-1

TUNA LUSO - FIGUEIRENSE (SC) 1-0 2-3

TUNA LUSO - GOYTACAZ (RJ) 1-0 3-2

Em 1992, voltava a conquistar um título nacional. A equipe sagrava-se campeã da 3ª divisão do campeonato brasileiro. Disputou 14 partidas, com 9 vitórias, 4 empates e 1 derrota. Marcou 18 gols e sofreu 7 gols (por coincidência os mesmos números de gols marcados e sofridos da outra conquista). O artilheiro da equipe foi Ageu com 6 gols.

A sua campanha foi a seguinte:

TUNA LUSO - MOTO CLUBE (MA) 1-0 0-0

TUNA LUSO - FLAMENGO (PI) 1-0 1-1

TUNA LUSO - ISABELENSE (PA) 3-1 1-0

TUNA LUSO - SAMPAIO CORRÊA(MA) 3-0 1-0

TUNA LUSO - AUTO ESPORTE (PB) 1-0 1-0

TUNA LUSO - NACIONAL (AM) 0-0 2-2

TUNA LUSO - FLUMINENSE (BA) 0-2 3-1

fonte: por: Blog História do Futebol

Jay-Z - Empire State Of Mind (feat. Alicia Keys)

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

HINO DA TUNA LUSO


Nós estamos empunhando a bandeira

Comemorando a nossa vitória,

Tuna, Tuna, Tuna

É mais um time

Que entra na história.

Tuna Luso Brasileira,

O teu passado é de glória

Lutando na terra e no mar

E conquistando sempre as vitórias.

Nós estamos empunhando a bandeira

Comemorando a nossa vitória

Tuna, Tuna, Tuna

É mais um time que

Que entra na história.

Verde, branco e a cruz de malta,

Que mora no meu coração

Tu és a águia do Souza

E serás sempre em toda geração

Nós estamos empunhando a bandeira

Comemorando a nossa vitória

Tuna, Tuna, Tuna

É mais um time que entra na história.

Autor: José Teixeira

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Bellucci supera 'apagão' e conquista ATP 250 de Santiago


Com o triunfo, Bellucci iguala-se a outros dois importantes nomes do tênis brasileiro: Jaime Oncins e Tomaz Koch, que também conquistaram dois torneios da ATP em suas carreiras

O brasileiro Thomaz Bellucci conquistou na madrugada desta segunda-feira o ATP 250 de Santiago no Chile, seu segundo título de torneios de nível ATP. O paulista derrotou na final o argentino Juan Monaco por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 0/6 e 6/4, após mais de duas horas de jogo na capital chilena.
Com o triunfo, Bellucci iguala-se a outros dois importantes nomes do tênis brasileiro: Jaime Oncins e Tomaz Koch, que também conquistaram dois torneios da ATP em suas carreiras. À frente do tenista de Tietê estão agora apenas Fernando Meligeni, que tem três títulos, Luiz Mattar, que conquistou sete campeonatos, e Gustavo Kuerten, dono de 20 troféus da ATP.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

sábado, 6 de fevereiro de 2010

PETECA

Peteca é o nome dado a um artefato esportivo, utilizado no jogo também chamado "Peteca", de origem indígena-brasileira. A Peteca é constituída de uma base que concentra a maior parte de seu peso, geralmente feito de borracha, e uma extensão mais leve, geralmente feita de penas naturais ou sintéticas, com o objetivo de dar equilibrio ou orientar sua trajetória no ar quando arremessada. A Peteca era muito utilizada pelos índios como atividade esportiva para ganho de aquecimento corporal durante o inverno. O jogo de Peteca guarda certa semelhança com o voleibol e o Badminton, pelo fato de jogar-se, como estes, em um terreno dividido por uma rede. O elemento principal do jogo é a peteca, que se golpeia com a mão. A popularidade da peteca como jogo de tempo livre tem crescido constantemente em alguns países europeus, como a Alemanha, onde, para o esporte, existem três federações diferentes.

O Esporte
O jogo consiste em dois ou mais participantes, utilizando-se as mãos, onde a peteca é arremessada ao ar de um jogador para o outro, evitando que a mesma toque o solo numa área definida. É um esporte praticado em várias regiões do Brasil, e tem como origem o estado de Minas Gerais, proveniente dos índios que habitavam aquela região, que utilizavam tocos de madeira e palha amarrados a penas de aves, arremessando o artefato entre si como forma de diversão.

História
Registros históricos indicam que a peteca era utilizada pelos nativos brasileiros como forma de recreação muito antes dos colonizadores portugueses chegarem. Paralelamente aos rituais e festas indígenas o jogo da peteca era praticado, tendo como centro as tribos localizadas no estado brasileiro de Minas Gerais. Através de gerações a tradição de jogar peteca foi se perpetuando, tornando-se enfim o esporte que é hoje.

A V Olimpíada
Os Jogos Olímpicos de 1920, realizados na Antuérpia, foram os primeiros que tiveram a participação de uma delegação brasileira. Alguns dos atletas que representavam o Brasil, carregaram consigo petecas, para fins recreativos. A atividade atraiu a atenção de competidores de outros países, que demonstravam interesse nas regras, ainda inexistentes, desse esporte.

Institucionalização no Brasil
Apesar de já ser comum a prática da Peteca há muito tempo antes, apenas em 1973 começaram a ser fomentadas regras sobre o esporte, culminando com a criação da Federação Mineira de Peteca - FEMPE, em 1975. A oficialização veio através de uma resolução do Conselho Nacional de Desporto - CND, em 17 de agosto de 1985, em sua Deliberação n° 15/85. Finalmente, em 1986, a CBDT (Confederação Brasileira de Desportos Terrestres) criou seu departamento de Peteca, nomeando para a sua direção o desportista Walter José dos Santos, responsável pela codificação e oficialização das regras. Em 1987 aconteceu o primeiro Campeonato Brasileiro de Peteca, fruto do esforço das federações regionais espalhadas pelo país.

No mundo
Em 26 de maio de 2000 foi fundada uma federação mundial em Berlim, que recebeu o nome de IIA - International Indica Association (Associação Internacional de Indiaca, nome internacional da Peteca). Esta federação se propôs como objetivo regulamentar as diferentes formas do jogo e promover torneios internacionais da modalidade. As maiores federações nacionais do esporte se encontram na Alemanha e Japão, mas também são membros da IAA: Suíça, Estônia, Eslováquia, Brasil e Luxemburgo. Em agosto de 2001 foi realizado na Estônia o primeiro campeonato mundial de Peteca, sendo neste mesmo país-sede o segundo campeonato em 2006.
A Federação Francesa de Peteca (FFP) foi criada em fevereiro de 1999 por Jean-François Impinna, um jogador de rugby.

Regras
Os jogos podem ser de simples ou duplas, nos moldes de uma partida de tênis. A quadra apresenta dimensões de 15,0m x 7,5m para duplas e 15,0m x 4,0m para individual, dividido em duas metades, cada uma para o uso de uma das equipes rivais. A altura da rede é variável e depende da idade e do sexo dos participantes. Para jogos da categoria masculino, a rede deverá apresentar uma altura de 2,43m e 2,24m para o feminino e categoria até 12 anos. Detalhes como as dimensões dos quadrados da malha também são especificados: aproximadamente 4 cm por 4 cm. A peteca é posta em jogo através de um saque, no qual o jogador golpeia com a mão a peteca para que passe por cima da rede. A peteca deve ser jogada para a outra metade da quadra com um único toque, sem que tenha tocado o solo. Atualmente utiliza-se o sistema de vantagens para contagem de pontos. Cada partida é disputada em sets, que chegará ao fim quando uma das equipes alcançar 12 pontos ou após 20 minutos de jogo. O componente que ganhar dois sets primeiro, ganha a partida. Outro detalhe importante é que após o saque, o ponto deverá ser finalizado em 30 segundos, ou senão a vantagem será revertida. As regras completas são muito mais específicas e podem ser encontradas nos sítios das federações de peteca (algumas são listadas na última seção). A mão é a raquete








PETECA EM ALTO MAR
Para quem acha que a Peteca é um esporte que só pode ser jogado em terra firma, como em praias, praças ou quadras esportivas está enganado. O esporte é bem dinâmico e divertido e pode compartilhar bons momentos de descontração e ser jogado em diversos outros locais, inclusive em plataformas de petróleo ou navios.

A plataforma de petróleo P-48, da Petrobras, é a segunda do projeto Barracuda e Caratinga, que começou a produzir em janeiro de 2005. O complexo é constituído por campos de petróleo e gás em águas profundas, localizados a 160 km a leste de Macaé, no nordeste do Estado do Rio de Janeiro, e cobre uma área de 493 quilômetros quadrados na bacia de Campos, a profundidades de que variam de 600 a 1.350 metros.

Na P-48, em alto mar, os jogadores de Peteca formaram uma associação de Tenistas e Petequeiros denominada ATP-48 (Associação de Tenistas e Petequeiros da P-48) para a prática do esporte.

Fonte:
http://www.fempemg.hpg.ig.com.br/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Peteca

Candidata da AP vence concurso de Rainha das Rainhas de 2010








A candidata Bruna Pontes, da Assembleia Paraense, é a Rainha das Rainhas do carnaval 2010.
Bruna leva como prêmios um Fiat Palio zero quilômetro, modelo ELX 1.4 completo, ofertado pela Invencível Veículos, além de uma bolsa integral na Esamaz, para o curso superior que for aprovada e um troféu das Organizações Rômulo Maiorana.

Princesas - As princesas do carnaval 2010 são:
Laura Stephane, do Grêmio Literário Português;
Ana Luisa Bentes, do Paraclube;
Pryscila Câmara, do Clube do Remo;
Andréa Girard, do Caixaparah.
Prêmios:
Laura Stephane, de apenas 17 anos, é a candidata mais nova do concurso deste ano. Ela usou a fantasia. Laura agora, além de ganhar uma bolsa integral para o curso que for aprovada no vestibular da Esamaz, viaja, com mais um acompanhante, para Paris.
A segunda princesa foi a candidata Ana Luisa Bentes do Paraclube. Ganha a bolsa integral e uma viagem com acompanhante para Lisboa.

Priscyla Câmara, do Clube do Remo foi a terceira princesa. Viaja com acompanhante para o Rio de Janeiro e também poderá desfrutar da bolsa integral da Esamaz.

A quarta princesa do carnaval foi Andréa Girard. Andréa viaja para Fortaleza com um acompanhante e fica com a última bolsa integral da Esamaz.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Justiça assegura o Re x Pa no domingo

Afinal, o Mangueirão será ou não liberado?

A justiça, através da juíza Sandra Maria de Aragão Klautau, da 2ª Vara Cível da Capital, em ação proposta pelo governo do Estado, concedeu liminar e liberou o Mangueirão para o clássico Remo x Paysandu no próximo domingo, 07/02, com lotação reduzida.

Parece mesmo que nada e ninguém conseguirá parar esse campeonato caro, frio, sem graça e desorganizado que iniciou errado! Talvez, quem sabe, somente a vontade divina poderá interrompe-lo!

Baenão e Curuzú foram vistoriados
O estádio Baenão foi dado como apto para continuar sendo utilizado em jogos do Campeonato Paraense. A vistoria feita, ontem (04) pela manhã, por técnicos do Corpo de Bombeiros. Já o estádio da Curuzu foi vetado ontem para jogos do Campeonato Paraense. Uma comissão do Corpo de Bombeiros esteve pela manhã no local que informou à imprensa que o estádio estava vetado para a realização de jogos.

Enquanto isso, até o momento, nada sobre o mandato de segurança que Tuna Luso e Castanhal reivindicam junto ao TJD sobre a irregularidade do Cametá. No final de tudo, se é que terá um final, não vai dar em nada e se Remo ou Paysandu se sentirem prejudicados certamente entrarão na justiça buscando seus interesses e o campeonato irá melar e terminar em pizza, com cerveja!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Rainha das Rainhas do Carnaval 2010


Acontecerá nesta sexta-feira, 05/02, no moderno Centro de Convenções e Feiras da Amazônia - Hangar, a 64ª edição do concurso 'Rainha das Rainhas do Carnaval', promoção das organizações ORM.

A vencedora da edição anterior do concurso foi Naiane Alves, representante do Grêmio Literário Português.

O concurso será transmitido, em tempo real, pelo Portal ORM e pela NTV, canal 23 da ORM Cabo. A TV Liberal transmitirá o resultado do concurso ao vivo para todo o Estado.

Jussara Trevisan

Jussara Inês Trevisan, de 20 anos, é a candidata da Tuna Luso Brasileira. Com 1,73 e 69 quilos, ela é natural do Paraná, mas acredita que, com sua simpatia e carisma, vai conquistar os jurados do concurso e o público paraense. A jovem, que tem como hobby patinar e sair com os amigos, já tem experiência em concursos de beleza e guarda em seu currículo, com carinho, o título de Garota FestCom (Festival do Camarão, de Muaná) de 2007. Além de cursar Gestão Empresarial, a candidata é comissária de voo. Seu sonho de consumo é poder comprar uma fazenda no interior do Pará.

"O prazer de voar começa com o medo de cair"

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Garagem náutica ganha fogão de seis bocas

Informamos que entregamos no último sábado, 30/01, na garagem náutica da Tuna Luso, um fogão semi-novo de seis bocas, em bom funcionamento, doado pela senhora Leonor Teixeira para fazer parte em definitivo do patrimônio da sede náutica.
Já conseguimos apenas no mês de janeiro uma máquina nova de lavar roupas, um liquidificador novo e por último o fogão.
Agora, ficaremos necessitando apenas de uma geladeira para suprir as necessidades básicas dos atletas.