BLOG TUNANTE

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Outros Clubes de Futebol do Pará

1) Esporte Clube Internacional (Alenquer)








2) Sacramenta Esporte Clube (Belém)







3) Clube Júlio Cesar (Belém)








4) Foto do Atlético Liberato de Castro (Belém)








5) Grêmio Desportivo dos Combatentes (Belém)








6) União Sportiva (Belém)









7) Sport Clube Belém (Belém)













Estamos divulgando, por solicitação do amigo Rodolfo Stella, algumas particularidades (possíveis de encontrar) de clubes de futebol do Pará que já existiram ou que não dispuitam mais o campeonato de profissionais, como os que se seguem:

Atlético Liberato de Castro (Belém-Pará)
Quem foi Liberato de Castro?

"A Panóplia Delirante
Garotos, garotos.
Não posso negar que o futebol é uma de minhas paixões e o Liberato de Castro é o maior time que já defendi. A bem da verdade foi o único. Em 1965 eu dividia meu tempo entre uma comunidade hippie-carateca e o juvenil do Bólido do Guamá. Nunca fui muito à frente no esporte bretão. Abandonei uma promissora carreira como beque-central porque o departamento médico do clube não possuía a técnica necessária para curar uma frieira crônica que tinha no pé esquerdo. De fato, não havia DM no clube, apenas o massagista Mariano Bloonfield III, o Bandalheira. No tempo em que passava em tratamento ele me contava as histórias do clube, em especial o do time de 1927, terceiro colocado no grupo H da segunda divisão do campeonato paraense. Foi o escrete que mais deu alegrias à imensa torcida do clube. Muito do sucesso daquela equipe se deve à voluntariedade dos jogadores e, principalmente, dos esquemas revolucionários do técnico Izidoro Singular, uma lenda.
Eu me perdia naquelas causos de feitos heróicos. O modesto campo do Tambaqui Azedo, o "Remosão", era o palco os jogos do Liberato e das artimanhas táticas de Singular. Sabedor que seus comandados eram mais fortes na garra e determinação do que na habilidade e na técnica, o treinador armava o time para marcar com força e contra-atacar com velocidade. "Abre pelas pontas e fecha que nem leque", gritava o comandante à beira do gramado.
Na referida campanha de 27 o Liberato teve pela frente o Berabinha, o Santo Ambrósio e o Belém Wanderers. O primeiro jogo terminou 4 a 4 para o Berabinha. O centroavante Charles Uniforme, conhecido como o Galante por sempre usar brilhantina Glostora no cabelo, fez um dos gols ao aproveitar uma falha gritante do goleiro adversário. O outro tento do Liberato foi contra.
A segunda contenda foi com o Santo Ambrósio. Jogo, sob forte chuva e com uma marcação acirrada de ambos os lados. Aos 40 minutos do segundo tempo, aproveitando mais uma falha do arqueiro, Uniforme completou para o gol vazio. Foi um lance histórico porque foi a primeira vez que o Liberato fazia mais de dois gols numa só temporada. Uniforme já era cobrado pela torcida para figurar na seleção paraense e seu nome era visto pintados nas paredes: "Uniforme é Rei". No entanto, nos cinco minutos restantes o time oponente marcou três gols e fechou o placar.
O Liberato foi para a última partida precisando da goleada sobre os Ingleses para terminar para, através de uma combinação de resultados, se classificar para a fase seguinte. Os Wanderers eram os favoritos. Lógico. Clube de endinheirados, era o único que tinha um uniforme oficial, um luxo para a época, e podia alugar um bonde para levar os jogadores para os jogos.
Foi um embate magnífico e o final trouxe o melhor resultado da história do Liberato: 1 a 1. O placar estava a favor dos Wanderers até o último minuto, quando o center-four Lúcio Jennifer tabelou com o forward Sanfoneiro que cruzou na área. O goleiro dos Ingleses socou a bola e ela foi na nuca de Charles Uniforme. A pelota entrou mansinho do gol. Quando o juiz apitou o final a torcida mal podia acreditar. Não foi o suficiente pára classificar a equipe, mesmo assim ficou na memória.
Uniforme foi carregado em êxtase e ganhou um desconto vitalício na taberna local. Promoção que foi toda utilizada em gel de cabelo e conhaque Dois Irmãos. Izidoro Singular aproveitou a fama para se eleger vereador no ano seguinte. Um ano depois ele foi afastado por causa de denúncias da cabotinismo.
Nunca Mais o Liberato de Castro conseguiu feito igual e até hoje esse time, chamado na época de a Panóplia Delirante por causa de seu brasão psicodélico, é cantado em verso e prosa na periferia da cidade."
Postado por: Cremonese em 3/06/2006

Quem está na foto do Atlético Liberato de Castro?
Em pé: Lúcio Jennifer, Brilhantina, Maravalho Boina, Ismael Florêncio, Cabelinho e Ceará. Sentados: Izidoro Singular (técnico), Teixeirinha, Sanfoneiro, Zé Donaldo, Alegria, Charles Uniforme e Bandalheira (massagista, médico, roupeiro e capelão). Constantino Jardan, pai do renomado Messias Jardan, usou de toda sua perícia de Lambe-Lambe para fazer o futebolístico click.

Sport Clube Belém
O Sport Club Belém é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Belém, capital do estado do Pará. Fundado no dia 1º de dezembro de 1965, chegou a ser considerado em alguns anos, a quarta força do futebol paraense, atrás apenas de Remo, Paysandu e Tuna Luso. Chegou a participar do Campeonato Brasileiro da Série C. Seu atual presidente é Antonio Gomes Da Silva, o vice é Carlos Alberto da Rocha.
CURIOSIDADE
No Campeonato Paraense de 1997, a partida Sport Belém 3x1 Pinheirense, do dia 16 de junho, registrou um público de apenas 2 torcedores, que proporcionaram uma renda de apenas R$ 4,00.
Ranking da CBF
Posição: 278º
Pontuação: 2 pontos
Fonte: Wikipédia

Clube Júlio César
Fundação: 25/01/1925
Cidade: Belém/Pa
Estádio: Não tem

Esporte Clube Internacional
Fundação: 16/09/1950
Cidade: Alenquer-Pa
Estádio:
Uniforme:

União Sportiva (Clube extinto)
A União Esportiva é um clube brasileiro de futebol já extinto, da cidade de Belém, capital do estado do Pará. Usava como uniforme camisa com listras verticais pretas e branca, calção branco e meias pretas. Mandava seus jogos no estádio Baenão.
Foi fundada no dia 15 de agosto de 1906. Foi o primeiro vencedor do campeonato estadual de futebol em 1908. O clube deixou de existir no ano de 1967, ao entrar numa grave crise financeira.
Títulos Estaduais
Campeonato Paraense: 2 vezes (1908 e 1910).
Vice-Campeonato Paraense: 2 vezes (1923 e 1929).

Grêmio Desportivo dos Combatentes
Fundação: 24/02/1959, sucedeu à Associação dos Ex-Combatentes do Brasil (fundada em 09/02/1951)
Cidade: Belém-Pa
Estádio:

Sacramenta Esporte Clube
Fundação:
Cidade: Belém-Pa
Estádio:
Uniforme: verde e branco

Sporting Club do Pará
Fundação:
Cidade: Belém-Pa
Estádio:
Uniforme:

Para outras consultas sugerimos pesquisar no endereço abaixo:

Aconselhamos também os amigos visitantes a lerem a crônica do jornalista Elias Pinto que retrata muito bem o termo "virar casaca".

terça-feira, 22 de julho de 2008

SAIBA A ORIGEM DO SENADINHO DA TUNA




SENADINHO DA TUNA

È um local da TUNA, onde os bons tunantes se reunem para um "bate papo" descontraido, visando sempre o melhor para o clube, sem se envolver com os poderes diretivos constituido estatutarios, porém, colaborando com os seus dirigentes. Foi seu fundador o saudoso Grandes Beneméritos Francisco Carrapatoso, juntamente com Valdemiro Martins Gomes e outros. São reminiscentes do “Senadinho”: os Grandes Beneméritos: Alvaro Bernardes Vigário, Alvaro Rodrigues, Alirio José Gonçalves, Augusto Viana, Cezar Mattar, Genésio Mangine, Francisco Pacheco, Lísio Capela, Manoel Henriques (Presidente), Péricles Oliveeira (Relações Públicas) Raimundo Mendes, Reinaldo Barros; Beneméritos: Arnaldo Abílio, Fernando Chipelo e Raimundo Barata e ainda o Conselheiro Alberto Vilhena.
Como saudosos “senadores” lembramos: Antonio Maria Fidalgo, Abelardo (Juvenil) Vasconcelos, AlbertoVieira de Souza, Antonio Fragoso, Alvaro Farias Coêlho, Edgard Mattar, Edmar Pereira, Fausto Santos, Fernando Pingariho, Flavio Rodrigues, Francisco Carrapatoso, José Fernando Rodrigues, Laurenio Rocha, Francisco Almeida, Raimundo Almeida, Francisco Ferreira(Zé Rato), Manoel da Fonseca, Manoel Oliveira, Mario Raimundo Fidalgo, Orlando Porto Neves, Raimundo Dantas, Raul Novais, Vasco Elídio Cavalcante, Waldemiro Martins Gomes.
Por: GB -Péricles da Motta Oliveira (Belém, 03 de fevereiro de 2008)

segunda-feira, 21 de julho de 2008

PARQUE AQUÁTICO DA TUNA EM AGOSTO


A Tuna Luso Brasileira deverá inaugurar, até o final do mês de agosto, o seu tão sonhado PARQUE AQUÁTICO que será totalmente custeado pela comunidade luso-brasileira, atualmente sob a presidência do Sr. João Pisco, sem custo nenhum para a Tuna. O valor estimado do parque é de R$25.000,0o.

Em breve outras melhorias serão implementadas no clube através de parcerias e doações para pintura geral da sede social, reformas da boite e de outras instalações.

Aguardem!

terça-feira, 15 de julho de 2008

Novas opções na Tuna Luso para as férias de julho














A Tuna Luso está oferecendo para seus associados e convidados, nesse mês de julho, um clube mais organizado e caminhando para melhores dias. O tobo-água foi totalmente reformado, foi construida uma nova barraca com churrasqueira e reformada a sauna masculina. Em breve o clube estará todo pintado, fruto de uma parceria com a ESAMAZ, que doou 400 pacotes de cal, e vários outros colaboradores que doarão tinta para a pintura da boite. Reformará também a sauna feminina e pretende construir, antes do final do ano, o seu tão sonhado parque aquático que será totalmente financiado pela comunidade portuguêsa.
A Tuna Luso, depois de um longo tempo estagnada, começa a se reerguer e a revitalizar o seu patrimônio social. Falta agora dar a mesma atenção e prioridade ao seu patrimônio esportivo que carace de reformas no campo de futebol, no ginásio Miranda Sobrinho e na sede náutica. De qualquer maneira já é um início de atitude e em breve todos esperamos encontrar uma nova Tuna Luso.
Boas férias a todos!

quarta-feira, 9 de julho de 2008

OBRAS NA TUNA II

















Em complemento a campanha lançada no orkut ontem, 08/07, seguem algumas fotos de locais diversos da sede da Tuna Luso, incluindo a sede náutica, antes tidas como as mais modernas do Pará e de toda a região norte. As fotos foram tiradas recentemente e mostram a preoculpante realidade vivida pelo clube que precisa imediatamente dar atenção a seu patrimônio. As duas últimas fotos mostradas são do local escolhido para ser construido o chuveiro coletivo para os atletas das escolhinhas de base, localizado ao lado do campo auxíliar, próximo da atual lavanderia.
Sabemos que a atual diretoria tem feito o que pode para reduzir as necessidades do clube mas também sabemos que herdou alguns sérios problemas deixados por diretorias anteriores e tem encontrado imensos problemas de ordem financeira, principalmente pela falta de patrocinadores fortes, para saldar seus compromissos.
Para tentarmos reduzir tais problemas, resolvemos lançar essa campanha nas comunidades do orkut da Tuna Luso pedindo ajuda e colaboração de todos os torcedores, sócios, abnegados e amigos que realmente gostam da Tuna para juntarem forças e numerários para iniciarmos as reformas mais imediatas.
A ATAT junta-se a essa corrente e, como mais um elo, se compromete a ajudar agregando idéias e recursos.
Aos que estiverem interessados em fazer parte dessa corrente e colaborar, por favor deixem seus comentários no blog ou nas comunidades daTuna e faça suas doações.
Entre em contato conosco através das comunidades do orkut:
Escutem a rádio Scalla FM para aliviar as tensões e boa viagem!

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Audiência Pública discute esporte de Remo





















Aconteceu no último dia 18 de junho, uma Audiência Pública na Assembléia Legislativa do Estado do Pará para discutir o esporte de Remo no Estado. A audiência foi requerida pelo Deputado Roberto Santos e acatada pelo Presidente da da Comissão de Esporte e Lazer Deputado Robgol. A audiência contou com a presença de do Secretário de Esporte e Lazer (SEEL) do Governo do Estado do Pará, Sr. Alberto Leão.
Técnicos e atletas apresentaram alguns problemas vividos pelas garagens náuticas dos clubes como a falta de material de treinamento, problemas estruturais nas sedes e a falta de recursos financeiros para manter em funcionamento a prática do esporte de remo na capital paraense.
O Secretário de Esporte e Lazer manifestou todo apoio do Governo do Estado através sa SEEL ao esporte e prometeu ainda este ano atender as reivindicações dos clubes para manter o esporte de remo com mais apoio do Governo.
No final da audiência, foi realizado uma visita nas Sedes Náuticas dos Clubes com o Secretário Alberto Leão e o Deputado Robgol com a finalidade de ver de perto as condições que se encontram os clubes paraenses.

OBRAS NA TUNA I

Segue texto retirado do orkut, de autoria do amigo Mineiro, dando início a uma campanha de mobilização para arrecadação de doações de numerário e materiais para obras e reformas nas instalações do estádio do Souza, nos campos de treinamento das equipes de base, no ginásio Miranda Sobrinho e na sede náutica.
As doações e supervisão das obras serão coordenadas pela ATAT mas vai depender muito das contribuições arrecadadas. Esperamos poder contar com a ajuda do maior número de colaboradores possível.
"Mineiro
[Campanha] Obras da ATAT
Como no outro tópico (criticar é facil) se abriu uma discussão para a melhoria da estrutura da Tuna em relação a construção de novos chuveiros para nossos atletas, a ATAT lança nesse mês de Julho uma campanha para arrecadar fundos e materias para começar logo essa reforma.
Serão necessários:
10 sacos de cimento, 01 milheiro de tijolos, 50 telhas Brasilit, 03 m3 de areia, canos, chuveiros e o revestimento do piso.
Por enquanto já temos:
- 01 saco de cimento doado pelo Von.
- RS 50,00 de doação (Antônio de Macapá) e;
- R$ 240,00 (anuidade do sócio Jaime Eiras, de Manuas).
Eu tb me comprometo em ajudar, assim que retornar a Belém vou entrar em contato com os outros compenentes da ATAT e ver o que falta.
Então! Cruzmaltinos vamos ajudar e contribuir para melhorar nosso clube!!!
Quem será o proximo a contribuir???"
No mês passado recebemos a doação de R$200,00, do amigo Jaime Eiras (de Manaus) e fizemos a compra de 01 milheiro de tijolos para a construção de um tanque de treinamento para os atletas de remo da Tuna.
Participe dessa campanha e ajude você também a reconstruir o seu clube. Vamos dar suporte para melhorar a infraestrutura do clube e minimizar as perdas acumuladas durante esse anos.
Se alguém puder ajudar é só entrar em contato conosco deixando recado na caixa de sugstões do blog ou através da comunidade da Tuna no orkut. Se preferir é só deixar o e-mail ou telefone para a gente entrar em contato.

Manoel Maria em Belém










Paraense que marcou época no Santos ao lado de Pelé

Q
uando viu aquele moleque cabeçudo e moreno jogar, pegou o telefone e ligou para o amigo Edison. Tinha que levar o jovem atleta para a Vila Belmiro. Juntos, Mané e Edison foram à casa do boleiro. Naquele mesmo ano, Robson de Souza, o Robinho, vestiu a camisa do Santos pela primeira vez, graças ao olhar atento do ex-jogador paraense Manoel Maria, o Mané, e a seu amigo Edison, o Pelé.
A carreira do ponta-direita mocorongo não foi tão gloriosa quanto a do pupilo Robinho, mas, sem dúvida, foi meteórica. Mané Maria deixou o futebol da Tuna Luso e foi direto para a Seleção Brasileira Pré-Olímpica, em 1968. Defendeu a camisa verde-amarela no México e, quando voltou, substituiu Dorval no mesmo Santos em que Pelé jogou.
Em pouco tempo, e sem jogar em Remo e Paysandu, Mané se tornou um dos poucos representantes paraenses que defenderam a Seleção. Pelo Alvinegro, conquistou o bicampeonato paulista em 1968 e 1969 e se tornou um dos maiores ídolos santistas. Mas, nos anos seguintes, sofreu um acidente de carro e nunca voltou a jogar como antes.
Depois do triunfo, a decepção. Mané ainda venceu o terceiro Campeonato Paulista, em 1977, mas deixou os campos de lado cinco anos depois. Mas, o futebol, Mané nunca largou. Só que o ídolo da Vila Belmiro ainda tinha grandes feitos pela frente. Virou técnico das bases e, depois, olheiro do Alvinegro. Foi numa dessas peneiras que descobriu Robinho.
Manoel Maria encerrou a carreira como jogador há mais de 30 anos. Ainda assim, mantém a Escolinha de Futebol Manoel Maria, em Santos. Mané veio a Belém para lançar o Grupo de Trabalho da Copa do Mundo de 2014 e concedeu entrevista exclusiva a O LIBERAL. O ex-jogador paraense falou sobre as mudanças no futebol nos últimos 30 anos e comentou a possibilidade de Belém sediar o Mundial.

Você jogava como ponta-direita. Onde essa posição ficaria no futebol atual?
Seria um atacante, não é?
-Um jogador com um campo maior de ação. Não ficaria restrito à lateral do campo, como ficávamos naquela época.
Do que sente falta no futebol atual?
-De uma 'caneta', de um drible. Antes, havia mais lançamentos. Hoje, isso é mais difícil. São jogos mais cadenciados. Os jogadores mal dominam a bola.
E qual o ponto positivo agora?
-Todos, na verdade. O futebol mudou em relação à marcação, mas os jogadores têm de se adaptar. Os atletas, hoje, estão bem mais preparados.
Sobre a Copa do Mundo de 2014, você acha mesmo que Belém tem chance de ser sub-sede?
-As chances são muito grandes. Até porque há vontade de ter uma sede no Norte. Belém tem um dos cinco melhores campos, o que credencia a cidade a ser favorita.
Isso é suficiente para trazer o Mundial?
-No Pará, a paixão pelo futebol é muito grande. A rivalidade entre Remo e Paysandu, o Brasil todo vê. O fato de ter bastante torcida faz com que o Pará seja percebido.
Mas também falta muita coisa, não?
-Falta estrutura. E bastante. Tem de se investir em hotéis, centros de treinamento, no transporte. Só que todas as capitais precisam disso. Não é só Belém.
Você falou que o Brasil nota o futebol paraense. Você acompanha Remo e Paysandu?
-Sempre. Estou sabendo que o Remo ganhou. Já sei da crise financeira, da falta de pagamentos. Mas não é um mal só daí. O Palmeiras também está com esse problema.
Depois da Tuna, você é Remo ou Paysandu?
-Sou a favor do futebol paraense em geral. Sou Remo, Paysandu, Tuna. O que interessa é o futebol do Pará esteja em alta.
O 'descobridor' de robinho
Manoel Maria
parou de jogar bem antes do que imaginava, mas não perdeu o faro de gol. Fora dos gramados, especializou-se em pinçar craques no meio da turba de peneiradas na Baixada Santista, onde fixou residência. Foi numas dessas partidas entre centenas de garotos que ele 'descobriu' mais um garoto prodígio para a Vila Belmiro.
Robinho é brilho nos olhos de Manoel Maria. Graças ao ex-jogador, o garoto mirrado e cabeçudo, ainda pré-adolescente, pôde iniciar a carreira no Santos e, medidas as proporções, lembrar a Pelé, nem que fosse pelo biotipo.
Contudo, Robinho foi além, como esperava Manoel Maria. Deslanchou na Vila Belmiro, que ficou pequena. Foi para a Seleção Brasileira e passou a distribuir suas pedaladas no Real Madrid.

Fonte: O Liberal - Edição de 07/07/2008.

PERSONAGENS DA HISTÓRIA DA TUNA FRANCISCO MOREIRA VASQUES
















Detalhe da foto de sua carteira de associados indicam a passagem de Francisco Vasques pela Tuna Luso
Vídeo do estádio Francisco Vasques: 
http://br.youtube.com/watch?v=BCY7H47yQfM 

Nascido em 04 de setembro de 1895, na cidade do Porto (Portugal), filho de José Vasques e Anna Moreira Vasques. Veio para o Brasil aos 11 anos de idade para trabalhar com seu tio e padrinho que era dono do estabelecimento "LE BON MARCHÉ". Alguns anos depois casou-se com Cecilia Amélia Cabral Vasques com que teve três filhos (Celeste Claudia, Claudio Luzo e Carlos Luzo, o "Caluga". 

Carlos Luzo teve sete filhos de 2 casamentos (Cecilia Hortencia, Celina D Fátima, Francisco Carlos, Regina, Claudia Nazareth da Penha, Lucia Helena e João Felipe) que deram a Francisco Vasques nove bisnetos e 2 tataranetos do filho de Celina Vasques, que atualmente reside em Manaus.

Francisco Vasques foi um próspero comerciante fundador da CASA WHITE que trabalhou com artigos dentários durante 40 anos.
Ingressou na TUNA LUSO COMERCIAL em 01 de fevereiro de 1914 sob o nº 170 e carteira nº 23 de sócio benemérito. Era sócio efetivo remido da Sociedade Beneficente Portuguesa sob o nº 656. Foi de secretário a presidente do conselho, passando ainda por diversas vezes pelo comando administrativo, como presidente , diretor, presidente da Federação (período?), etc., onde se eternizou pela sua impecável conduta e exemplo de abnegação.
Faleceu no dia 29 de setembro de 1964, devido a um AVC e foi sepultado na perpétua de nº 4685, quadra 12H, do cemitério de Santa Izabel, em Belém do Pará. A Tuna Luso Brasileira mandou contruir seu mausoleu em justa homenagem e agradecimento.  
Segundo o memorável jornalista Manoel Oliveira, Vasques era a TUNA EM PESSOA e desde 1914 foi viga das mais fortes a sustentar esse grandioso clube. Era louco pelo futebol e lutou muito para que a Tuna jamais parasse de jogar. O estádio do Souza, de propriedade da Tuna, tem o seu nome. Tinha paixão também pelas regatas e sempre presenteava a garagem náutica com barcos novos para as regatas. 







Vasques foi figura das mais representativas dos esportes do norte do Brasil e elo de união entre dois povos e muitas gerações. Sua vida foi dedicada ao clube e passava as noites, de domingo a domingo, na sede da Tuna, quando ainda era na avenida Presidente Vargas, de onde também saiu o seu enterro no dia 30 de setembro de 1964. Sua morte e velório foi uma verdadeira comoção em Belém do Pará, sendo que outro enterro de tais proporções somente o de Magalhães Barata. Uma multidão acompanhou o cortejo à pé e Celina Vasques, sua neta, conta que estava lá e também acompanhou o enterro.
Francisco Vasques escrevia matérias para os jornais A FOLHA DO NORTE, A PROVÍNCIA DO PARÁ e JORNAL DO COMÉRCIO, todos de Belém, com o pseudo nome de "RATÃO BRANCO".
Colaboração: Celina Vasques, de Manaus.

terça-feira, 1 de julho de 2008

MAIS DOIS QUE SE FORAM!

Ex-meia da Tuna já está no elenco da Macaca
O meia Dudu, 17, ex-Tuna, já está em São Paulo, mais precisamente em Campinas, onde se apresentou à Ponte Preta. O jogador, que completa 18 anos em dezembro, assinou contrato profissional com o time campineiro com a duração de um ano, mas vai jogar pelo time sub-20 da Macaca. Dudu fez todos os exames e foi aprovado. Começa a treinar hoje entre os ‘’garotos’’ da Ponte.
Dudu ganhou direitos federativos na Justiça do Trabalho após ficar três meses sem receber salários de 400 reais mensais da Tuna. Houve a reclamação trabalhista do jogador e o clube ainda tentou reverter a situação depositando os valores em juízo. Mas o TRT deu ganho de causa ao meio-campista, que foi revelado no futsal da própria Tuna. Os salários de Dudu na Ponte Preta não foram revelados, mas de acordo com sua mãe, Ana Rosa, o acerto foi satisfatório.
Japonês - Já nesta terça-feira é a vez de Japonês, na realidade Cristian Fiel Ferreira, seguir para Porto Alegre (RS) para se apresentar ao Internacional, seu novo clube. O ex-meia da Tuna, a exemplo do amigo Dudu, também ganhou passe livre na Justiça, ontem. Japonês foi indicado pelo coordenador de base do Inter, Guto Ferreira, que veio a Belém para assistir jogos do meio-campista. Japonês, inicialmente, será integrado ao time sub-20 do Colorado.
Canadá - O futebol canadense é novo eldorado paraense. Virou refúgio de jogadores do Japiim. Além de Helinho, mais três jogadores do Castanhal viajaram para tentar a sorte naquele país. O lateral Fite, o zagueiro Anderson e o atacante Dênis. Também existe possibilidade de Neném Apeú entrar na barca castanhalense. O jogador aguarda contato com o empresário que cuida dos interesses do meia Helinho.
Fonte: Edição de 01/07/2008