BLOG TUNANTE

quarta-feira, 2 de março de 2016

Primeira regata, domingo, será desfigurada

Neste Domingo, 6, acontece a primeira regata do ano pelo Campeonato Paraense de Regatas, promovido pela FEPAR. O evento acontecerá nas águas da Baia do Guajará e a chegada  dos barcos será na Estação das Docas.
Até o momento não vi o programa, mas pelo que soube através de amigos remadores, a Tuna está inscrita em apenas um páreo dos 10 que serão disputados, um Double pela categoria de Master, que a Águia não tem tradição de disputar.  A Guajará, recém inscrita na FEPAR,  será a novidade deste ano.
 
Foto divulgação.
 
Pelo que conversei com o diretor náutico, Fernando Amadeu,  um dos entusiastas do esporte náutico em nossa terra, além de também ser árbitro de nível internacional,  a Tuna participará para não ficar de fora e com isso talvez ser prejudicada.
Na minha visão e opinião como torcedor da Tuna,  não acho uma boa a Tuna participar de apenas um páreo, ainda por cima ser Master e sendo o próprio diretor náutico o remador. É desgastante para um clube com 113 anos e com uma história na Náutica de pelo menos 107 anos. É possível que alguns adversários possam provocar torcedores cruzmaltinos tirando graça com a situação, embora outros, os verdadeiros amantes do belo esporte náutico, poderão lamentar a situação. Mas o certo é que os torcedores, estes sim, vão sofrer e alguns, como este escriba, com certeza não irão para a Regata temendo  um sofrimento maior. Só digo que uma regata sem a Tuna é triste. Com certeza desfigurada.
É importante que a diretoria da Tuna saiba -a meu ver, o Fernando Amadeu tem conhecimento disso!- que Tuna, Remo e Paysandu, como fundadores da Federação Paraense de Remo- FEPAR- não podem ser punidos por não participarem de uma regata. Os três têm uma história nesse esporte e por isso têm prioridade estatutária que lhes permite só remarem se estiverem em condições técnicas e financeiras.
A Tuna, por sua vez, é sempre bom lembrar, o único clube dos três que nunca fechou sua Garagem Náutica e se hoje está passando por um problema de falta de atletas por vários motivos (sendo o principal o assédio financeiro que Paysandu e Remo fazem com os jovens atletas cruzmaltinos), tranquilamente pode voltar na segunda ou terceira regata pra realmente competir.
Tive uma rápida conversa com o diretor náutico Fernando Amadeu e falei para ele o que penso, como também para outro dirigente do Clube. Costumo dizer -e não é da boca pra fora!- que a Tuna é maior do que qualquer vaidade. Seja no Esporte Náutico, no Vôlei, no Basquete, na Natação, no Futebol Feminino  e no Futebol Profissional, os verdadeiros tunantes estão -e estarão!- sempre prontos para ajudar.  Mas a maneira tem que ser discutida, valorizada, porque torcedor que participa, que está presente na vida do clube,  respeita a instituição, mas também tem que ser respeitado.
Saudações Cruzmaltinas a todos!
Fonte: didascália

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Nossa missão na Garagem Náutica


Fachada pintada da Garagem Náutica
Neste 31 de Dezembro termina nosso mandato como Diretor Náutico da Tuna  Luso Brasileira, função que desempenhamos ao longo de 22 meses, juntamente com os companheiros Gerardo Monteiro e Mário Mangas.


Quadro da Tuna com atletas de 1919 que recuperamos

A princípio quero agradecer ao Gerardo e ao Mário pela coragem de entrar comigo nesta briga de recuperar a Garagem Náutica, que vinha de um período dos mais tristes, com o prédio completamente abandonado, a rampa caída, banheiros sucateados, necessitando de pintura interna e da fachada (externa); quase sem atletas e com uma modesta participação nas regatas dos anos anteriores e tendo, durante todo o campeonato de 2013, ganho apenas dois pontos, o que para os cruzmaltinos e para os amantes do belo esporte náutico foi uma tristeza, misturada com vergonha.

Ao assumirmos sentamos e planejamos o que iríamos fazer primeiro,  já que além do que era necessário mensalmente para manutenção da garagem, como café da manhã dos atletas, transporte,

dinheiro para consertos de barcos (uma grande carência da Tuna), tínhamos que resolver a situação das dívidas com a FEPAR, ligação de água e luz (cortadas), e uma verba  mensal para pagamento de inscrição e transferência de atletas,  pagamento da anuidades atrasadas da FEPAR, já que não poderíamos fazer inscrição de atletas nem de barcos enquanto não resolvêssemos pagar o atrasado.

Com o apoio dos amigos da Confraria, GBs, Beneméritos, associados, torcedores e amigos entramos em campo. Criamos um Carnê que no princípio rendeu mais de mil reais mensais. Conseguimos reaver com a Mirela a colaboração mensal com biscoitos, massa para sopas e bolachas. Com a panificadora Pão Dourado conseguimos 30 pães diários. Com os amigos da Confraria Levi Alves e nosso diretor Mário Mangas conseguimos uma Cafeteira grande, uma Máquina de jato dágua e mais uma televisão de 29 polegadas, acompanhada de controle e antena.

O associado e ex-diretor Jaime Eiras, mesmo morando em outro estado,  nos mandou durante um grande período uma quantia mensal que ajudava no café da manhã, que ficou adubado com leite, pão, manteiga e bolachas.

O carnê deu certo até um período. Mas não sobrava para as inscrições de atletas nem pagamento do atrasado nem da anuidade atual da FEPAR, em torno de 5 mil reais por ano. Também não dava para fazer nada de melhoria na Sede, como pintura, reforço na rampa, etc.

Decidimos, ainda no ano passado,  fazer um fluxo de caixa com uma feijoada, o que no primeiro ano nos rendeu em torno de mais de 6 mil reais de lucro. Pagamos tudo que tínhamos que pagar e ainda compramos um barco do sr. José Augusto Morgado, um 2 X reversível, por 5.000,00 (cinco mil reais).

Também iniciamos a reforma geral dos dois banheiros, masculino e feminino, com piso, pinturas, vasos, pias, mictório e seis chuveiros, tudo novo, quase todo material fruto de doações de amigos. Pagamos praticamente só a mão de obra, além do material para a pintura. Modestamente, as reformas e os dois banheiros ficaram excelentes.

Nossos diretores Gerardo e Mário fizeram a proposta e resolvemos ampliar os trabalhos, fazendo também uma nova instalação hidráulica, pintura e colocação de azulejos em toda a Copa. Ficou muito bonita. Na oportunidade, recuperamos um quadro de antigos remadores de 1919, que estava abandonado na Sede Social. A recuperação ficou linda e para todos os cruzmaltinos foi uma grande honra rever o quadro na parede.

Pintamos toda a frente da Sede, uma vez que a pintura velha, com mais de cinco anos, estava desbotada e sem vida. Usamos as cores tradicionais da nossa Tuna: o Verde e o Branco, com frisos vermelhos.  Colocamos uma grande bandeira que está lá a tremular no mastro lá em cima, doada pelos amigos Zé Maria, Salatiel, Avelino e  Cauby.

Empolgados com as obras, embora já sem dinheiros, resolvemos fazer uma decoração na entrada da Garagem. Pintamos e colocamos um antigo barco como se fora um grande abajur decorativo. Fizemos uma inauguração com a presença de vários tunantes, colaboradores e a diretoria do Clube.

Essas obras foram feitas graças o dinheiro que conseguimos com a realização de uma Rifa de um televisor que nos foi repassado ao preço de custo pelo diretor Mário Mangas. Junto a isso, conseguimos pagar tudo com as arrecadações mensal dos Carnês e com a Feijoada de 2015, que nos deu um lucro de R$ 6.050,00 (seis mil e cinquenta reais).

Nossa performance nas águas da Baía do Guajará nos dois anos não foi excelente, mas  também não foi das piores. Disputamos todas as cinco regatas de 2014, e as quatro de 2015. Participamos da Copa Norte e Nordeste que foi realizada em Belém e ajudamos no título de Campeão do Pará. Não podíamos competir financeiramente com Remo e Paysandu que trouxeram em todas as provas atletas de fora -até da Argentina!-  por valores altíssimos e pagando salários homéricos aos atletas regionais. Ou seja, ninguém quer remais mais sem ganhar. Pra Tuna isso não dá. Nós, até as passagens que dávamos aos nossos atletas era dinheiro suado.

Galera torcendo. À frente o amigo Carlito
Foram dois anos de muita luta, mas o resultado está sendo satisfatório. Pegamos a sede Náutica a ponto de fechar, o que não aconteceu por causa do empenho do diretor técnico José Wildemar, o Lindão, que a duras penas foi mantendo. No período em que dirigimos organizamos a infraestrutura do prédio da melhor maneira possível, para dar uma melhor condição aos atletas, sem custo para a Tuna, que em quase dois anos, nos repassou apenas a quantia de 2 mil reais. Para que todos tenham uma idéia, só com passagens se fôssemos pagar de todos os atletas, seria em torno de 600 reais mensais, mais despesas com café da manhã e o restante da manutenção, dá em torno de quase 2 mil reais. Tivemos que conseguir o resto das despesas com muito trabalho deste escriba, Gerardo Monteiro, Mário Mangas e o apoio inconteste dos abnegados.

Saímos de cabeça erguida, já entregamos nossa prestação de contas dos três semestres (até Junho/2015) e este semestre vamos concluir para entregar já em Janeiro para a diretoria que entra.

Nova geração de remadores da Tuna
Estamos somente aguardando documentação de quitação da FEPAR para fecharmos com chave de ouro. Semana passada recebemos do remador José Morgado a quitação do barco que compramos para a Tuna e nos despedimos certos do dever cumprido. Na oportunidade, agradecemos ao presidente Charles Tuma pela confiança.
Queremos deixar claro que continuamos cada vez mais cruzmaltinos, e que continuaremos lá torcendo pela Tuna nas regatas desse ano que se inicia.






Era isso que queríamos mostrar aos nossos amigos cruzmaltinos e a todos os colaboradores que nos ajudaram durante nosso mandato. Se faltou alguma coisa, depois a gente mostra, mas penso que o principal foi colocado.

Muito obrigado.
Fonte: Didascália

Campeonato Paraense de Futebol - Todos os campeôes (de 1908 a 2015)



No total de títulos do Campeonato Estadual do Pará disputados, o Paysandu soma 45 títulos, contra 44 do Clube do Remo. A Tuna Luso Brasileira obteve 10 títulos, União Desportiva 2, o Independente de Tucuruí 1 e Cametá com 1.

O Clube do Remo exibe o feito de ser o único pentacampeão estadual da era profissional, com os títulos conquistados em 1992, 1994, 1995, 1996 e 1997. O Leão Azul também foi até agora o único clube a conseguir, na era do futebol profissional, um título estadual com 100% de aproveitamento, obtido no campeonato de 2004, quando o time remista, ao sagrar-se bicampeão paraense, somou 14 vitórias em 14 jogos.

Em seguida a relação dos campeões estaduais do Pará, de acordo com os números fornecidos pelo Banco de Informações da RÁDIO CLUBE DO PARÁ.


ANO CAMPEÃO ANO CAMPEÃO
1908 União Desportiva 1963 Paysandu
1910 União Desportiva 1964 Remo
1913 Remo 1965 Paysandu
1914 Remo 1966 Paysandu
1915 Remo 1967 Paysandu
1916 Remo 1968 Remo
1917 Remo 1969 Paysandu
1918 Remo 1970 Tuna Luso
1919 Remo 1971 Paysandu
1920 Paysandu 1972 Paysandu*
1921 Paysandu 1973 Remo
1922 Paysandu 1974 Remo
1923 Paysandu 1975 Remo
1924 Remo 1976 Paysandu**
1925 Remo 1977 Remo
1926 Remo 1978 Remo
1927 Paysandu 1979 Remo
1928 Paysandu 1980 Paysandu
1929 Paysandu 1981 Paysandu
1930 Remo 1982 Paysandu
1931 Paysandu 1983 Tuna Luso
1932 Paysandu 1984 Paysandu
1933 Remo 1985 Paysandu
1934 Paysandu 1986 Remo
1936 Remo 1987 Paysandu
1937 Tuna Luso 1988 Tuna Luso***
1938 Tuna Luso 1989 Remo
1939 Paysandu 1990 Remo
1940 Remo 1991 Remo
1941 Tuna Luso 1992 Paysandu
1942 Paysandu 1993 Remo
1943 Paysandu 1994 Remo
1944 Paysandu 1995 Remo
1945 Paysandu 1996 Remo
1947 Paysandu 1997 Remo
1948 Tuna Luso 1998 Paysandu
1949 Remo 1999 Remo
1950 Remo 2000 Paysandu
1951 Tuna Luso 2001 Paysandu
1952 Remo 2002 Paysandu
1953 Remo 2003 Remo
1954 Remo 2004 Remo
1955 Tuna Luso 2005 Paysandu
1956 Paysandu 2006 Paysandu
1957 Paysandu 2007 Remo
1958 Tuna Luso 2008 Remo
1959 Paysandu 2009 Paysandu
1960 Remo 2010 Paysandu
1961 Paysandu 2011 Independente
1962 Paysandu 2012 Cametá


2013 Paysandu


2014 Remo


2015 Remo

* A Justiça Desportiva confirmou o título que o Paysandu conquistou em campo, contra o Clube do Remo.
** O Clube do Remo se retirou do campeonato, denunciando uma suposta conspiração da FPF contra a agremiação azulina.
*** A Justiça Desportiva conferiu o título à Tuna Luso Brasileira, que havia sido derrotada em campo pelo Paysandu.
Fonte: Rádio Clube do Pará

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Blog Tunante ultrapassa a marca dos 500 mil acessos. Obrigado!


Ultrapassamos na data de hoje (10/02), a espetacular marca dos 500 mil acessos em nosso blog. Tal conquista nos deixa cheio de orgulho pelas importantes visitas, sugestões e compartilhamentos recebidos. Esperamos poder continuar contando recebendo suas visitas dessa forma continuar divulgando o bom nome da Tuna Luso Brasileira, de Belém do Pará.
Fraternais saudações e agradecimentos! 

Gravado em uma cozinha, canal sobre a Portuguesa faz sucesso

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Corrente para nosso amigo Daniel

O amigo Daniel "PT" é o que está vestido com a camisa do Corinthians (C)

Prezados amigos tunantes e membros da Confraria da Sauna da Tuna Luso, Paz e Bem! 
Lamento informar que hoje (08) recebi a visita de um vizinho meu (Sr.Cileno), que é pai do genro do nosso amigo Daniel, mais conhecido por todos nós como "PT". Pois bem, a finalidade de sua visita foi para dar a triste notícia de que Daniel está enfrentando grave enfermidade (CA) e precisando do apoio de todos nós. No momento, ele está recebendo atendimento no HSM, em Belém. Não posso informar detalhes sobre seu quadro de saúde, mas tão logo saiba alguma novidade volto a informar aos amigos. Sua esposa e seus filhos pedem encarecidamente o apoio de quem tiver como ajudar no seu tratamento. 
Esse meu vizinho que veio pedir ajuda é o mesmo que em 2011 doou as telhas tipo Calhetão, usadas na reforma do banheiro da sauna da Tuna. No próximo sábado (13), após o retorno do carnaval, quando formos nos reunir na Confraria da Sauna, poderíamos conversar e estudar uma forma de ajudar nosso amigo Daniel. Se alguém tiver alguma outra sugestão sobre o assunto favor se pronunciar. Tão logo tenha novidades sobre o quadro de saúde de Daniel volto a informar. 
Desejo um bom final de carnaval, com segurança e saúde para todos! 

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Tuna Luso Brasileira completa 113 anos de fundação



A Tuna Luso Brasileira, tradicional clube de Belém do Pará, completa nesta sexta-feira (1º de janeiro) 113 anos de fundação. Um legado de Glórias e conquistas em prol da sociedade e do esporte paraense e nacional! 

Desejamos melhores dias para nossa "Rainha do Mar". Que retorne o quanto antes ao posto de "Elite do Norte", com destaque aos cenários social e esportivo de nosso estado. Esperamos que 2016 seja um ano promissor para o nosso querido clube, e que nossos dirigentes tenham sabedoria para realizar as mudanças necessárias, resgatando associados, recuperando patrimônio, incentivando os esportes amadores e categorias de base, além de dar especial atenção para o futebol profissional. Estaremos sempre prontos para colaborar com as causas da Águia Guerreira do Norte!



Desejamos sucesso e vida longa ao nosso clube. 
Um abençoado 2016 para todos os associados e torcedores cruzmaltinos!

domingo, 27 de dezembro de 2015

João Rodrigues vence eleição da Tuna Luso

 

João Rodrigues é o novo presidente da Tuna Luso. Ele venceu a eleição para a escolha da nova diretoria do clube. A Chapa 1, de Rodrigues, venceu por 256 votos.


“Vamos reestruturar o Clube. A Tuna voltará à elite do futebol paraense”. Essas foram as primeiras palavras de Rodrigues após a vitória, em entrevista à Rádio Clube, após a apuração dos votos.

João Rodrigues era vice-presidente da Tuna. Ele assumiu o cargo em 2014, ao lado de Charles Tuma, que compôs a Chapa 1, como vice-presidente. “Vamos dar continuidade aos trabalhos que estão em andamento nesses dois anos e ir atrás dos objetivos que ainda não concluímos”, comentou Tuma. A Chapa 1 venceu por uma diferença de 59 votos da Chapa 2, do candidato a presidência Mario Mangas, que teve 196 votos. João Rodrigues e Charles Tuma terão mais dois anos na gestão do clube cruzmaltino.

Fonte: DOL com informações da Rádio Clube)